VMware Hands-on Labs - HOL-1811-02-SDC


Visão geral do laboratório - HOL-1811-02-SDC - Introdução ao vSphere with Operations Management

Orientação de laboratório


Observação: a conclusão deste laboratório levará mais de 90 minutos. Estima-se que seja possível terminar de 2 a 3 módulos durante o horário disponível para você. Os módulos não dependem uns dos outros. Assim, você pode começar do início de cada um deles e prosseguir de onde parou. Use o Índice para acessar qualquer módulo à sua escolha.

Ele pode ser acessado no canto superior direito do Manual do laboratório.

Neste laboratório de introdução, descrevemos os componentes e seus recursos dentro do vSphere 6.5 e abordamos a implementação deles, além dos tópicos básicos sobre a administração. Este laboratório explora os principais recursos do vSphere 6.5 e como trabalhar com eles. Você aprenderá a implantar e gerenciar upgrades e migrações, melhorar a disponibilidade, monitorar e otimizar o desempenho da carga de trabalho, e entenderá como a análise proativa de logs pode detectar problemas antes de eles afetarem as cargas de trabalho. Este é um excelente ponto de partida para a sua experiência com o VMware vSphere.

O laboratório está dividido em oito módulos, que podem ser concluídos em qualquer ordem:

Lista de módulos do laboratório:

 Responsáveis pelo laboratório:

 

O manual deste laboratório pode ser obtido por download no site de Documentos dos Hands-on Labs aqui:

http://docs.hol.vmware.com 

Este laboratório pode estar disponível em outros idiomas. Para definir sua preferência de idioma e ter um manual localizado implantado com o seu laboratório, este documento pode orientá-lo pelo processo:

http://docs.hol.vmware.com/announcements/nee-default-language.pdf


 

Local do console principal

 

  1. A área dentro da caixa VERMELHA mostra o console principal. O Manual do laboratório fica na guia à direita do console principal.
  2. Um laboratório específico pode ter outros consoles em guias separadas na parte superior esquerda. Se necessário, você será direcionado para abrir outro console específico.
  3. Seu laboratório começa com 90 minutos no cronômetro. Não é possível salvá-lo. Sendo assim, você deve fazer todo o seu trabalho durante a sessão. No entanto, é possível clicar em EXTEND para estender o tempo. Se você estiver em um evento da VMware, poderá estender o tempo do laboratório duas vezes, para no máximo 30 minutos. Cada clique acrescenta 15 minutos. Fora dos eventos da VMware, você pode estender o tempo do seu laboratório para até 9 horas e 30 minutos. Cada clique acrescenta uma hora.

 

 

Métodos alternativos de entrada de dados pelo teclado

Durante este módulo, digite o texto no console principal. Além da digitação direta, há dois métodos muito práticos que facilitam a entrada de dados complexos.

 

 

Clicar e arrastar o conteúdo do manual do laboratório para a janela ativa do console

Você também pode clicar e arrastar textos e comandos da interface de linha de comando (CLI, Command Line Interface) diretamente do Manual do laboratório para a janela ativa no console principal.  

 

 

Acesso ao teclado internacional on-line

 

Você também pode usar o teclado internacional on-line do console principal.

  1. Clique no ícone de teclado que fica na barra de tarefas de Início Rápido do Windows.

 

 

Solicitação ou marca d'água de ativação

 

Quando você iniciar o laboratório pela primeira vez, talvez observe uma marca d'água no desktop. Ela indica que o Windows não está ativado.  

Um dos principais benefícios da virtualização é que as máquinas virtuais podem ser movidas e executadas em qualquer plataforma. Os Hands-on Labs utilizam esse benefício, e é possível executá-los em vários data centers. No entanto, esses data centers podem não ter processadores idênticos, o que aciona uma verificação de ativação da Microsoft pela Internet.

A VMware e os Hands-on Labs estão em total conformidade com os requisitos de licenciamento da Microsoft. O laboratório que você está usando é um pod autocontido e que não tem o acesso completo à Internet necessário para que o Windows verifique a ativação. Sem o acesso completo à Internet, esse processo automatizado falha, e a marca d'água é exibida.

Esse problema superficial não afeta seu laboratório.  

 

 

Observe a parte inferior direita da tela

 

Verifique se foram concluídas todas as rotinas de inicialização do seu laboratório e se ele está pronto para você começar. Se aparecer algo diferente de "Ready", aguarde alguns minutos. Após cinco minutos, se o laboratório ainda não aparecer como "Ready", peça ajuda.

 

Módulo 1: vCenter Server Appliance como primeira opção (60 minutos)

Introdução


Este módulo contém as seguintes lições:


Visão geral do vCenter Server Appliance


Com o lançamento do vSphere 6.5, o vCenter Server Appliance (vCSA) superou o conjunto de recursos e o desempenho do vCenter Server para Windows. Os valores máximos de configuração são iguais entre os dois desde o vSphere 6.0. Há dois componentes principais: vCenter e Platform Services Controller. Dependendo do tamanho ou modelo de implantação, eles podem ser incorporados ou externos. Esses conceitos e a arquitetura serão abordados mais adiante neste módulo.


 

Por que o vCSA 6.5 deve ser a opção de implantação padrão

Para os iniciantes, o instalador foi reformulado com uma aparência mais moderna. Os usuários de Linux e Mac também ficarão empolgados, pois o instalador agora é compatível com essas plataformas, além do Microsoft Windows. O vCenter Server Appliance agora também tem recursos exclusivos como:

Há vários outros aprimoramentos gerais:

 

 

Segurança

Embora o vCenter Server Appliance (vCSA) tenha sido baseado anteriormente em uma edição personalizada da VMware de um appliance SUSE Enterprise Linux, o vCSA 6.5 é executado no PhotonOS. O PhotonOS é um sistema operacional Linux especificamente criado para virtualização pela VMware. Portanto, ele vem previamente reforçado e não oferece suporte à instalação de software de terceiros. A configuração desativa serviços desnecessários, utiliza firewall de host e interfaces de rede especiais e remove contas locais, exceto aquelas associadas à administração do aplicativo. A VMware reforça previamente o vCenter Server Appliance usando as diretrizes aplicáveis do STIG de SRG Unix. Os clientes não instalam o software no vCSA, a não ser as atualizações obtidas da VMware. Não há nenhuma interface de uso geral para o sistema operacional Linux. Até a interface SSH, reservada para administradores, é desativada por padrão.

 

 

Lições do módulo

O restante deste módulo se concentra nas lições acerca desses aprimoramentos de recursos.

 

Integração do vSphere Update Manager


O vSphere Update Manager agora está integrado ao vCenter Server Appliance (vCSA). Quando você implanta o vCenter Server Appliance (vCSA), o serviço VMware vSphere Update Manager Extension é iniciado automaticamente. Não é mais possível conectar uma instância do vSphere Update Manager instalado em uma máquina com Windows Server ao vCenter Server Appliance (vCSA). Ocorrerá um erro se houver uma tentativa de conectar o vSphere Update Manager ao vCenter Server Appliance (vCSA) durante a instalação em um sistema operacional Windows.

O vSphere Update Manager implantado com o vCenter Server Appliance usa um banco de dados PostgreSQL. Embora o vSphere Update Manager e o vCenter Server Appliance compartilhem a mesma instância do banco de dados PostgreSQL, eles usam bancos de dados PostgreSQL separados executados no vCenter Server Appliance (vCSA). Se for necessário redefinir o banco de dados do vSphere Update Manager, o banco de dados do vCenter Server Appliance (vCSA) permanecerá intacto.

O vSphere Update Manager possibilita o gerenciamento centralizado e automatizado de patches e versões para o VMware vSphere e oferece suporte para hosts VMware ESXi, máquinas virtuais e appliances virtuais (as operações de upgrade e patch de appliances virtuais serão descontinuadas em uma futura versão).

Com o vSphere Update Manager, você pode executar as seguintes tarefas:

  1. Fazer upgrade e aplicar patches em hosts ESXi
  2. Instalar e atualizar softwares de terceiros nos hosts
  3. Fazer upgrade do hardware de máquina virtual, do VMware Tools e dos appliances virtuais

vSphere Update Manager Web Client

  1. vSphere Update Manager Web Client para vSphere Web Client: visualização de resultados de varredura e estados de conformidade para o inventário do vSphere

É recomendável também completar o HOL-1811-03-SDC "vSphere with Operations Management: tópicos avançados" para obter conhecimento aprofundado sobre como administrar o vSphere Update Manager. Esse tópico é abordado na Lição 1 do laboratório do Módulo 5.


 

O que há de novo no vSphere Update Manager 6.5

 

 

Update Manager Web Client

O componente cliente do Update Manager é um plug-in para o vSphere Web Client. O componente cliente do Update Manager oferece o conjunto completo de recursos necessários para o gerenciamento de patches e versões para o seu inventário do vSphere.

O plug-in do Update Manager para o vSphere Web Client não requer instalação. Depois de iniciar o serviço do Update Manager no vCenter Server Appliance (vCSA), o componente cliente do Update Manager é automaticamente ativado no vSphere Web Client. Um ícone do Update Manager é exibido na tela inicial, e o Update Manager aparece entre as guias de alto nível no vSphere Web Client.

É possível acessar a visualização Administration do Update Manager na tela inicial do vSphere Web Client. Acesse a visualização Compliance do Update Manager selecionando um objeto no inventário do vSphere e navegando até a guia Update Manager.

 

 

Update Manager Download Service

O vSphere Update Manager Download Service (UMDS) é um módulo opcional do Update Manager que você pode usar para fazer download de definições de patch em um sistema separado do servidor do Update Manager. Use o UMDS caso seu sistema de implantação do Update Manager seja protegido e a máquina em que o servidor do Update Manager está instalado não tenha acesso à Internet.

É possível instalar o UMDS de duas formas. Uma é a instalação do UMDS em sistemas operacionais Windows de 64 bits. Nessa opção, não é necessário instalar o UMDS na mesma máquina do Windows em que o servidor do Update Manager está instalado. A outra forma de instalar o UMDS é fazê-lo em um sistema baseado em Linux. No vSphere 6.5, um instalador do UMDS 6.5 é fornecido com o arquivo ISO do vCenter Server Appliance (vCSA). Como pré-requisito para instalar o UMDS no Linux, é necessário ter um servidor Linux no qual você precisa configurar previamente o banco de dados PostgreSQL e um DSN de 64 bits. Monte o arquivo ISO do vCenter Server Appliance (vCSA) na máquina Linux e, em seguida, instale e configure o UMDS 6.5.

Para usar o UMDS, o serviço de download deve ser de uma versão compatível com o servidor do Update Manager. Para obter mais informações sobre a compatibilidade entre o Update Manager e o UMDS, consulte a documentação Instalação e administração do VMware vSphere Update Manager.

 

 

 

Update Manager Utility

O Update Manager Utility permite que você altere a autenticação de proxy e a senha do banco de dados, registre novamente o Update Manager no vCenter Server e substitua os certificados SSL do Update Manager. Para obter mais informações sobre a reconfiguração do Update Manager usando o utilitário, consulte a documentação Reconfiguração do VMware vSphere Update Manager.

Quando você instala o Update Manager ou o UMDS, o vSphere Update Manager Utility é instalado de forma silenciosa em seu sistema como um componente adicional.

 

 

Opções de migração

A VMware fornece caminhos com suporte para a migração do Update Manager de um sistema operacional Windows para ser executado no vCenter Server Appliance (vCSA).

É possível migrar o Update Manager para o vCenter Server Appliance (vCSA) nos seguintes modelos de implantação do vCenter Server:

Para obter informações detalhadas sobre como executar a migração, consulte Instalação e administração do VMware vSphere Update Manager e a documentação de upgrade do vSphere.

 

Disponibilidade do vCenter Server


O VMware vCenter® Server Appliance™ (vCSA) é o núcleo de um ambiente vSphere e oferece serviços para o gerenciamento de vários componentes de uma infraestrutura virtual, como hosts ESXi, máquinas virtuais e recursos de armazenamento e rede. Como as grandes infraestruturas virtuais são desenvolvidas com o vSphere, o vCenter Server se torna um elemento importante para garantir a continuidade de negócios de uma organização. O vCenter Server precisa de proteção contra uma série de falhas de hardware e software em um ambiente, e precisa se recuperar de maneira transparente de tais falhas. O vSphere 6.5 oferece uma solução de alta disponibilidade totalmente nova para o vCenter Server, conhecida como vCenter Server High Availability, ou VCHA. O VCHA está disponível apenas para o vCenter Server Appliance.

O vCenter Server High Availability protege o vCenter Server Appliance contra falhas de host e hardware. A arquitetura ativa-passiva da solução também pode ajudar você a reduzir significativamente o tempo de inatividade ao aplicar patches no vCenter Server Appliance.

O vCenter Server High Availability (HA) é um cluster de três nós que contém um nó ativo, um nó passivo e um nó de testemunha. Há dois caminhos de configuração diferentes disponíveis, eles são chamados de Basic e Advanced. A opção que você seleciona depende da configuração existente, mas tanto o Basic quanto o Advanced resultam exatamente nos mesmos recursos. Em outras palavras, use o Basic sempre que possível. Será necessário usar o fluxo de trabalho Advanced se o vCenter Server que está sendo ativado para o vCenter Server High Availability for gerenciado por um vCenter Server diferente em um domínio de logon único (SSO, Single Sign On) separado ou os nós ativo, passivo e de testemunha forem gerenciados por vCenter Servers diferentes.


 

Visão geral da arquitetura

Um cluster vCenter Server High Availability consiste em três instâncias do vCenter Server Appliance. A primeira instância, inicialmente usada como nó ativo, é clonada duas vezes como um nó passivo e um nó de testemunha. Juntos, os três nós formam uma solução de failover ativo-passivo.

Implantar cada um dos nós em uma instância ESXi diferente protege contra falhas de hardware. Adicionar os três hosts ESXi a um cluster Distributed Resource Scheduler (DRS) pode proteger ainda mais o seu ambiente. Se utilizar o fluxo de trabalho Basic, ao ativar o vCenter Server High Availability o fluxo de trabalho automaticamente colocará os nós em hosts diferentes e criará regras antiafinidade para você, se o DRS já estiver ativado. Se o fluxo de trabalho Advanced estiver sendo usado, o posicionamento dos nós será manual, bem como a criação de regras do DRS.

Quando a configuração do vCenter Server High Availability estiver concluída, somente o nó ativo terá uma interface de gerenciamento ativa (IP público). Os três nós se comunicam por uma rede privada chamada rede do vCenter Server High Availability, que é definida automaticamente como parte da configuração. O nó ativo e os nós passivos replicam continuamente dados entre si.

 

 

Funções de cada tipo de nó em um cluster do vCenter Server High Availability

Nó ativo:

Nó passivo:

Nó de testemunha:

 

 

Como o vCenter Server High Availability funciona?

A disponibilidade do vCenter Server Appliance funciona da maneira a seguir nas condições de falha descritas:

  1. Falha do nó ativo: desde que o nó passivo e o nó de testemunha tenham comunicação entre si, o nó passivo será promovido a ativo e começará a atender às solicitações dos clientes.
  2. Falha do nó passivo: desde que o nó ativo e o nó de testemunha possam se comunicar, o nó ativo continuará a funcionar como ativo e a atender às solicitações dos clientes.
  3. Falha do nó de testemunha: desde que o nó ativo e o nó passivo estejam se comunicando, o nó ativo continuará a funcionar como ativo e a atender às solicitações dos clientes. O nó passivo continuará a acompanhar o nó ativo para fins de failover.
  4. Mais de um nó falha ou é isolado: isso significa que os três nós (ativo, passivo e de testemunha) não podem se comunicar. Isso corresponde a mais de um ponto único de falha e, quando acontece, o cluster é considerado não funcional, e o aplicativo vCenter Server é desligado para se proteger contra corrupção de dados.
  5. Comportamento de nó isolado: quando um único nó fica isolado do cluster, ele é automaticamente removido do cluster e todos os serviços são interrompidos. Por exemplo, se um nó ativo ficar isolado, todos os serviços serão interrompidos para garantir que o nó passivo possa assumir o controle, desde que ele esteja conectado ao nó de testemunha. A detecção de nó isolado leva em consideração as falhas de rede intermitentes e é resolvida como um estado isolado somente após todas as tentativas de repetição terem sido esgotadas.

Lembre-se de que o objetivo de tempo de recuperação (RTO, Recovery Time Objective) é de aproximadamente cinco minutos.

 

Topologias do Platform Services Controller e o Platform Services Controller High Availability


O Platform Services Controller fornece um conjunto de serviços de infraestrutura de uso comum para o ambiente do vSphere. Os serviços incluem licenciamento, gerenciamento de certificados e autenticação com o vCenter Single Sign-On. Neste módulo, exploraremos essas topologias e as opções de alta disponibilidade do Platform Services Controller.


 

Tipos de implantação do vCenter Server e do Platform Services Controller

Como mencionado anteriormente, você pode implantar o vCenter Server como um appliance ou instalar o vCenter Server para Windows. Ao usar o Windows, você também pode instalar/configurar com um Platform Services Controller incorporado ou externo. Assim como o vCenter Server, o Platform Services Controller pode ser instalado como um appliance ou ser instalado no Windows.

Antes de implantar o vCenter Server Appliance ou instalar o vCenter Server para Windows, você precisa determinar o modelo de implantação adequado para o seu ambiente. Os diferentes tipos de modelo de implantação são discutidos detalhadamente nas lições a seguir.

 

 

Passo a passo: Platform Services Controller High Availability com vCSA

Este passo a passo monstra como instalar e configurar Platform Services Controllers altamente disponíveis usando o VMware vCenter Server Appliance. Use as teclas de seta para navegar pelas telas.  Lembre-se de que as etapas são baseadas no vSphere 6.0, que pode diferir um pouco do processo da versão 6.5. Depois que concluir o passo a passo, feche a guia do navegador em que ele foi aberto. Para ver detalhes do processo para a versão 6.5, consulte este artigo da Base de conhecimento que inclui um passo a passo.

https://featurewalkthrough.vmware.com/#!/vsphere-6-0/vcenter-server-install/vcenter-server-6-0-psc-ha-vcsa

 

Backup do vCenter Server Appliance (vCSA)


No vSphere 6.5, o vCenter Server Appliance (vCSA) tem uma solução de backup e restauração baseada em arquivo pronta para uso. Você pode fazer backup em uma única pasta de todos os principais dados de configuração, inventário e histórico do vCenter Server. Todos esses dados são transmitidos por FTP (ou SFTP/FTPS) ou HTTP/HTTPS. Quando for o momento de restaurar um backup anterior, você poderá implantar um appliance novo, indicar o local da pasta dos arquivos de backup do vCenter Server e restaurar todos os dados de configuração e inventário do vCenter Server (com dados de histórico opcionais) do backup.

Nesta lição, passaremos pelas etapas que mostram como criar um backup do vCenter Server Appliance (vCSA) e verificar o backup. O processo de restauração será descrito e demonstrado na próxima lição Simulação interativa dos Hands-on Labs: restauração do vCenter Appliance.


 

Abrir o navegador Chrome na barra de tarefas de Início Rápido do Windows

 

  1. Clique no ícone do Chrome na barra de tarefas de Início Rápido do Windows.

 

 

Fazer login na UI de gerenciamento do appliance

Você fará o backup dos seus arquivos de configuração, inventário e dados de histórico selecionados do vCenter Server Appliance (vCSA) em uma pasta de arquivos localizada em um servidor FTP.



Faça login na UI de gerenciamento do appliance para monitorar o vCenter Server Appliance (vCSA) e iniciar o processo de backup do vCenter Server.

  1. Clique no marcador HOL Admin.
  2. Clique no atalho vcsa-01a Mgmt no menu.
  3. Digite root para User name.
  4. Digite VMware1! para Password.
  5. Clique no botão Login.

 

 

Fazer backup do vCenter Server Appliance (vCSA) usando o assistente Backup Appliance

 

O backup do vCenter Server Appliance (vCSA) começa na página de resumo da UI de gerenciamento do appliance (porta 5480 do seu IP/hostname do vSphere Web Client).


Para iniciar o processo de backup do appliance:

  1. Clique no botão Backup no canto superior direito da UI de gerenciamento do appliance.

 

 

Verificar se o backup foi realizado

 

Assim que o backup for concluído, será necessário confirmar se ele foi realmente feito.

  1. Substitua o valor da caixa de endereço por ftp://192.168.110.60.
  2. Será exibida uma janela Authentication Required. Digite root no campo User Name.
  3. Digite VMware1! no campo Password.
  4. Clique no botão Log In.

 

Simulação interativa dos Hands-on Labs: restauração do vCenter Server Appliance


O processo de restauração do vCenter Server Appliance consiste em duas etapas:

Esta parte do laboratório é apresentada como uma Simulação interativa dos Hands-on Labs. Com isso, você poderá praticar as etapas. Elas consistem em um processo longo ou que exige muitos recursos para ser feito em tempo real no ambiente do laboratório. Nesta simulação, você poderá usar a interface do software como se estivesse interagindo em um ambiente real.

Esta simulação inclui várias etapas para restaurar um vCenter Server Appliance.

  1. Clique aqui para abrir a simulação interativa. Ela será aberta em uma nova janela ou guia do navegador.
  2. Quando terminar, clique no link "Return to the lab" ou feche as janelas para continuar o laboratório.

Assistente de migração


A VMware oferece diversos caminhos com suporte para a migração e o upgrade de instalações do vCenter Server versões 5.5 e 6.0 do Windows para o vCenter Server Appliance 6.5. Esta seção fornecerá uma breve visão geral sobre esses caminhos de migração e o Migration Assistant for vSphere 6.5.


 

Caminhos de migração do vSphere com suporte

 

Você pode migrar as implantações a seguir como descrito na tabela.

 

 

Visão geral da migração do vCenter Server no Windows para um appliance

 

O assistente de migração contém as seguintes características:

 

 

Fluxo de trabalho de migração

 

O fluxo de trabalho exibido aqui descreve as tarefas de alto nível da migração de um vCenter Server no Windows para um vCenter Server Appliance no Linux.

Observação: para entender melhor o assistente de migração, conclua a lição HOL-1811-02-SDC Módulo 7: Migração para o vCenter Server Appliance, pois ela mostra casos de uso do assistente de migração.

 

Conclusão


O vCenter Server Appliance é o novo padrão para o vCenter. Ele superou o Windows baseado no vCenter em funcionalidade e oferece o equivalente em dimensionamento. Este módulo apresentou muitos dos novos recursos que são parte do vCenter Server Appliance, explorou considerações sobre a arquitetura e descreveu os caminhos de migração para auxiliar na migração para o Appliance.


 

Você terminou o Módulo 1

Parabéns por concluir o Módulo 1.

Se você estiver procurando informações adicionais sobre o vCenter Server Appliance, consulte estes materiais:

Continue em qualquer módulo abaixo que seja do seu interesse.

 

 

 

Como encerrar o laboratório

 

Se este é o último módulo do laboratório para você, conclua-o clicando no botão END.

 

Módulo 2: Clientes de gerenciamento da próxima geração (45 minutos)

Introdução


Este módulo contém as seguintes lições:


Visão geral do VMware Host Client


O VMware Host Client é um cliente baseado em HTML5 usado para se conectar e gerenciar hosts ESXi individuais.

Você pode usar o VMware Host Client para executar tarefas administrativas e de solução de problemas básicas, bem como tarefas administrativas avançadas no seu host ESXi de destino. Além disso, você pode usar o VMware Host Client para realizar gerenciamento de emergência quando o vCenter Server não estiver disponível.

É importante que você saiba que o VMware Host Client é diferente do vSphere Web Client, apesar de as interfaces serem semelhantes. Você pode usar o vSphere Web Client para se conectar ao vCenter Server e gerenciar vários hosts ESXi ao mesmo tempo que usa o VMware Host Client para gerenciar um único host ESXi.

As funções do VMware Host Client incluem, entre outras, as operações a seguir:

OBSERVAÇÃO: o VMware Host Client funciona somente para usuários administrativos.


 

Requisitos do VMware Host Client

 

Certifique-se de que seu navegador seja compatível com o VMware Host Client.

Os sistemas operacionais guest a seguir e as versões do navegador da Web devem ver compatíveis com o VMware Host Client.

Os sistemas operacionais guest e as versões do navegador compatíveis com o VMware Host Client são exibidos na tabela acima.

 

 

Como usar o VMware Host Client

O VMware Host Client integrado é um cliente baseado em HTML5 que possui uma interface semelhante à do vSphere Web Client, mas é usado para gerenciar apenas hosts ESXi individuais. Além disso, você pode usar o VMware Host Client para realizar gerenciamento de emergência quando o vCenter Server estiver temporariamente indisponível.

 

Aprimoramentos do vSphere HTML5 Client e do Web Client


Novos recursos da UI do Web Client, como atributos personalizados, guias de objetos e atualização em tempo real, são apresentados juntamente com outras melhorias de usabilidade e desempenho.

Nas etapas a seguir desta visão geral, vamos explorar os recursos mais recentes do vSphere Web Client.

 


 

vSphere Client baseado em HTML5

O vSphere Client baseado em HTML5 (ou apenas vSphere Client) é agora o método preferencial para gerenciar sua infraestrutura do vSphere. Por enquanto, há algumas tarefas que ainda exigem o uso do Web Client, que também foi aprimorado na versão 6.5.

Atualmente, há duas versões do novo vSphere Client baseado em HTML5. Uma delas é uma versão Fling que recebe atualizações regulares (às vezes, semanalmente) com novos recursos e correções de bugs. A outra é uma versão com disponibilidade geral (GA, Generally Available) totalmente compatível integrada ao vCenter Server 6.5 e posteriores. Conforme adicionamos novos recursos e funcionalidade ao vSphere Client, eles são adicionados primeiro à versão Fling e, depois de amadurecidos, são migrados para a versão GA do vCenter Server por meio de patches e atualizações. Por exemplo, a versão original do vCenter Server 6.5 (15 de novembro de 2016) continha uma versão do vSphere Client que era praticamente a Fling v2.7 do vSphere Client. Quando a VMware lançou o vCenter Server 6.5.0b (14 de março de 2017), o vSphere Client foi atualizado para ser equivalente à versão 3.2 da versão Fling em um pacote totalmente compatível. Você encontra mais informações sobre essa atualização em particular aqui: https://blogs.vmware.com/vsphere/2017/03/first-vsphere-client-html5-update-vsphere-6-5-b.html.

A VMware continuará lançando atualizações para a versão Fling do vSphere Client com frequência e adicionará os recursos ao GA por meio de patches e atualizações até que o vSphere Client esteja completo. O vSphere Client é uma prioridade para a VMware, e o feedback dos usuários é muito importante. Considere usar a ferramenta de feedback integrada nas versões Fling e GA do vSphere Client para nos ajudar a priorizar os recursos e fornecer um cliente compatível com todas as plataformas que permite uma experiência de administração tranquila, eficiente e agradável do vSphere.

 

Alguns dos recursos do vSphere Client são:

Atualizações de funcionalidade do vSphere Client

http://pubs.vmware.com/Release_Notes/en/vsphere/65/vsphere-client-65-html5-functionality-support.html

 

 

 

 

vSphere Web Client

Como mencionado antes, embora o vSphere Client seja a ferramenta preferencial para gerenciar o vSphere, algumas tarefas ainda exigirão o uso do vSphere Web Client. O restante desta lição fornece o passo a passo para você usar e se familiarizar com o Web Client.

 

 

Abrir o navegador Chrome na barra de tarefas de Início Rápido do Windows

 

  1. Clique no ícone do Chrome na barra de tarefas de Início Rápido do Windows.

 

 

Navegação e atalhos

 

  1. Abra o vSphere Web Client para o RegionB vCenter usando o navegador da Web Google Chrome.
  2. User name: administrator@vsphere.local
  3. Password: VMware1!
  4. Clique em Login

Observação: a árvore de inventário será a visualização padrão.

 

 

Atributos personalizados

 

As etapas a seguir abordarão a criação, renomeação e exclusão de atributos personalizados.

  1. Selecione "vcsa-01b.corp.local".
  2. Clique no botão Home.
  3. Selecione Tags & Custom Attributes.

 

 

Atualização em tempo real

 

A atualização em tempo real melhora o mecanismo original para atualizar tarefas recentes, alarmes que foram acionados e árvores para então acontecer em tempo real. Todos os usuários conectados ao vSphere Web Client verão as atualizações em tempo real se tiverem permissão para ver alterações.

 

 

 

Conclusão

Assim concluímos a seção "Aprimoramentos do vSphere HTML5 Client e do Web Client". Agora, você tem uma compreensão sólida das melhorias feitas no vSphere Web Client e a diferença entre vários clientes.

 

Conclusão


Este módulo apresentou as ferramentas que você usará para gerenciar os hosts ESXi e sua infraestrutura virtual. À medida que você for concluindo outros módulos deste laboratório, estará usando o vSphere Client, o cliente que será priorizado daqui em diante, exceto quando um dos outros clientes for necessário.


 

Você terminou o Módulo 2

Parabéns por concluir o Módulo 2.

Se você estiver procurando informações adicionais sobre clientes de gerenciamento, consulte estes materiais:

Continue em qualquer módulo abaixo que seja do seu interesse. [Adicione informações personalizadas/opcionais ao seu manual do laboratório.]

 

 

 

Como encerrar o laboratório

 

Se este é o último módulo do laboratório para você, conclua-o clicando no botão END.

 

Módulo 3: Mais detalhes sobre o vRealize Operations (30 minutos)

Visão geral do gerenciamento do vRealize Operations


O VMware vSphere with Operations Management (vSOM) proporciona um ambiente otimizado para um gerenciamento eficiente da virtualização do servidor. É possível conseguir isso ao combinar a plataforma líder mundial, VMware vSphere, com o vRealize Operations Manager. Essa combinação agrega gerenciamento de capacidade de nível crítico, alertas inteligentes, monitoramento de desempenho e uma variedade de outros recursos/funcionalidades. Ele foi desenvolvido para que empresas de todos os tamanhos executem aplicativos com altos níveis de serviço e maximizem a economia com hardware por meio de taxas mais altas de utilização de capacidade e de consolidação.


 

Simplificação do gerenciamento de TI dos ambientes de infraestrutura virtual

 

O vSphere with Operations Management oferece uma interface de usuário mais intuitiva do que o vCenter Server, além de melhorar os recursos de monitoramento adicionando técnicas de análise preditivas para permitir a descoberta de problemas e a correção de forma mais rápida, bem como o gerenciamento de recursos mais eficiente.

Principais recursos do VMware vSphere with Operations Management

O Console de Comando Unificado exibe indicadores-chave de desempenho com identificadores coloridos fáceis de se reconhecer e fornece uma visão abrangente sobre o que está causando os problemas atuais e potenciais de desempenho e gerenciamento de capacidade.

O monitoramento de desempenho e o gerenciamento de capacidade analisam os dados de desempenho do vCenter Server e estabelecem limites dinâmicos que se adaptam ao ambiente e fornecem alertas inteligentes sobre degradações de integridade, gargalos de desempenho e problemas de capacidade:

 

 

Vídeo: Visão geral do vSphere with Operations Management (3 min 13 s)

Veja aqui um vídeo rápido que mostrará os benefícios de usar o vSOM em seu ambiente.

 

Detalhes da interface do usuário - vRealize Operations Manager


Detalhes da interface do usuário - vRealize Operations Manager

 

Visão geral da interface do usuário

O vRealize Operations Manager 6.6 possui um design totalmente reformulado, e a interface de usuário foi simplificada em comparação com o User Interface for Operations Manager. Uma das vantagens mais importantes na nova interface do usuário do produto são painéis de conteúdo extremamente consistentes, além de contextualmente relevantes. Nesta seção, vamos destacar alguns dos principais componentes da interface para que você possa navegar facilmente pela UI do produto.

 

 

Abrir o navegador Chrome na barra de tarefas de Início Rápido do Windows

 

Se você não abriu o navegador Google Chrome em uma lição anterior, abra-o agora:

  1. Clique no ícone do Chrome na barra de tarefas de Início Rápido do Windows.

 

 

Diminuir o zoom para ganhar espaço na tela da UI do vRealize Operations (Chrome)

 

Você poderá descobrir que nem todas as informações são exibidas adequadamente na tela. Se esse for o caso:

  1. Selecione o menu Opções no Chrome.
  2. Clique no botão "-" para reduzir o zoom para 90% ou uma porcentagem que permita que você visualize tudo corretamente.

Observação: com isso, você poderá ter mais espaço para visualizar e ler o texto.

 

 

Login no vRealize Operations Manager

 

  1. Clique no Favorito vROPS e verifique se você está conectado a vrops-01a.corp.local.
  2. Certifique-se de que Authentication Source seja VMware Indentity Manager.
  3. Clique em REDIRECT.

 

 

vIDM

 

  1. Userid: hol
  2. Password: VMware1!
  3. Clique em Sign in.

 

 

Nova página inicial simplificada

 

A nova página inicial reflete o novo design simplificado da UI no vRealize Operations Manager 6.6. Ela é composta por três áreas principais:

  1. Barra de título
  2. Painel de navegação
  3. Painel de conteúdo 

Esta lição fornecerá um resumo de cada uma dessas áreas.

 

 

Recommended Actions

 

 

 

Notificações

 

Em Collection Notifications, o administrador do Operations Manager verifica se há fontes que não estão enviando dados. Ao clicar em Adapter info, o administrador visualiza as informações necessárias para diagnosticar problemas.

 

 

Atualização

 

E o que podemos dizer sobre o botão Refresh? Ele obviamente atualiza a página.

 

 

Pesquisa rápida

 

A função de Pesquisa rápida preenche o campo automaticamente conforme você digita. Ele permite que você localize e visualize objetos no seu ambiente com um único clique do mouse.

 

 

Menu principal

 

O menu principal consiste em:

 

 

Painel de navegação (Home)

 

A página Recomended Actions é a primeira que o administrador verá. Ela é uma visualização consolidada de todas as ações que um administrador precisa para ativar o objeto na infraestrutura virtual.

A visualização é detalhada em duas janelas principais, Scope e Suggested Fix. Em Scope, você encontra o agrupamento lógico dos objetos e todos os problemas referentes. Por exemplo, todas as máquinas virtuais e todos os seus alertas. Em Suggested Fix, ficam as recomendações de como solucionar um desafio visto em Operations, além de ações que podem ser realizadas para aplicar a solução.

 

 

Operations Overview

 

A página Operations Overview fornece uma visão geral rápida de todo o ambiente que o Operations conhece. Ela abrange um resumo da contagem de todos os objetos no ambiente com gráficos de contagem. Um widget que mostra rapidamente a contagem de alertas de datacenters virtuais, juntamente com o widget Top 15 que mostra ao administrador o alto nível da integridade da infraestrutura.

 

 

Capacity Overview

 

A página Capacity Overview mostra o status da capacidade atual de CPU, memória e armazenamento em toda a infraestrutura, juntamente com os valores de capacidade atuais de alto nível e recuperáveis.

 

 

Workload Balance

 

A página Workload Balance mostra o status atual do balanceamento da infraestrutura com base na nova funcionalidade do Workload Balance no vRealize Operations.

 

 

SSO no Log Insight

 

Clique em LOGIN VIA SSO.

 

 

Log Insight

 

A página Log Insight fornece acesso direto à UI do Log Insight a partir do vRealize Operations.

 

 

vRealize Business

 

A página Business Management fornece acesso direto de logon único à UI do vRealize Business for Cloud (vRBC), quando o vRBC estiver instalado e configurado. Esse não é o caso no laboratório do Hands-on Lab. Além disso, como o laboratório não tem acesso à Internet, o vídeo de introdução não carregará.

 

 

Painel de navegação - Dashboards

 

Dashboards, visualizações e relatórios são métodos de visualização de métricas de objetos coletados (ou calculados) pelo vRealize Operations. Não é possível personalizar Dashboards ou relatórios no vRealize Operations Standard, que faz parte da chave de licença do vSOM. No entanto, é possível usar o vRealize Operations Standard para criar visualizações personalizadas.

Observações: você pode clicar em qualquer link de navegação para verificar os dados exibidos no painel de conteúdo. Abordaremos a criação de Dashboards e alertas detalhadamente em outros módulos. Vale a pena lembrar que há três edições diferentes do vRealize Operations. São elas: Standard, Advanced e Enterprise. De um alto nível, a edição Standard é fornecida pronta para uso. Essa edição possui um EULA limitado e não pode ser combinada às licenças Advanced ou Enterprise dentro do mesmo cluster do vRealize Operations. A versão Advanced oferece uma visibilidade personalizada da infraestrutura, enquanto a Enterprise se entende para uma visibilidade personalizada no nível do aplicativo. Exemplificando, o botão de edição do Dashboard fica desabilitado porque esse recurso não está disponível no vRealize Operations Standard, que é a edição para o vSOM.

 

 

Painel de navegação - Alerts

 

A página Alerts mostra uma lista classificada cronologicamente dos alertas recentes no seu ambiente que precisam de atenção. Os alertas são classificados com base na gravidade, status e impacto sobre a integridade, o risco ou a eficiência.

  1. Você pode filtrar rapidamente os alertas por palavra-chave no formulário à direita.
  2. É possível agrupar os alertas por tempo, nível de gravidade, definição e tipo de objeto.

 

 

Alert Settings

 

Na página Alert Settings, você pode personalizar:

 

 

 

Painel de navegação - Environment

 

A página Environment Overview mostra como objetos como máquinas virtuais, datastores, sistemas operacionais etc. são agrupados no Operations Manager. É nessa página também que os administradores podem ver detalhadamente a hierarquia para entender as relações de todos os objetos no vRealize Operations Manager.

Grupos e aplicativos atualmente têm três estruturas: Custom Groups, Applications e Custom Datacenters. Custom Groups é a estrutura mais eficiente. Ela é usada por políticas para definir qual política está associada a qual objeto. Applications é uma estrutura legada associada ao VMware Infrastructure Navigator (VIN). A menos que você tenha instalado e integrado o VIN, não será necessário usar essa estrutura. Há também a estrutura Custom Datacenters que é usada para atribuição de cargas de trabalho (WLP, Workload Placement).

 

 

Painel de navegação - Administration

 

A página Administration contém todas as opções de administração, incluindo as ferramentas Solutions (Adapters), User Management e Support.

 

 

 

Conclusão

Com isso concluímos a seção "Compreensão da interface do usuário - vRealize Operations". Agora você possui um conhecimento sólido de como navegar e identificar onde encontrar os principais conteúdos no vRealize Operations.

 

Sobre o vRealize Operations Manager


O vRealize Operations Manager 6.6 possui um design totalmente reformulado, e a interface de usuário foi simplificada em comparação com o User Interface for Operations Manager. Esta seção abordará algumas das principais áreas da ferramenta vRealize Operations Manager explorando os Dashboards e os relatórios.


 

Abrir o navegador Chrome na barra de tarefas de Início Rápido do Windows

 

Se você não abriu o navegador Google Chrome em uma lição anterior, abra-o agora:

  1. Clique no ícone do Chrome na barra de tarefas de Início Rápido do Windows.

 

 

Login no vRealize Operations Manager

 

  1. Clique no Favorito vROPS e verifique se você está conectado a vrops-01a.corp.local.
  2. Certifique-se de que Authentication Source seja VMware Indentity Manager.
  3. Clique em REDIRECT.

 

 

Sobre os Dashboards

 

Os Dashboards do vRealize Operations apresentam uma visão geral visual do desempenho e do estado de objetos na sua infraestrutura virtual. Você usa os Dashboards para determinar a natureza e o período de problemas potenciais e existentes no seu ambiente. Nas edições Advanced e Enterprise, isso também pode ser estendido à sua infraestrutura física.

Na primeira vez que você fizer login no vRealize Operations Manager, a página inicial será exibida. Para acessar os Dashboards disponíveis, clique em Dashboards. Então, você chegará ao Dashboard Getting Started.

Nessa página, você pode percorrer as diferentes categorias e Dashboards e selecionar a opção que deseja usar. Assim, as opções serão ativadas na UI e adicionadas à lista à esquerda.

 

 

Análise dos relatórios

 

Clique em Reports no menu Dashboards. Os relatórios são um resumo programado de visualizações e Dashboards.

Com as funções de criação de relatórios do vRealize Operations Manager, você pode gerar um relatório para capturar os detalhes relacionados às necessidades de recursos atuais ou previstos. Você pode fazer o download do relatório em formato de arquivo PDF ou CSV para necessidades off-line e futuras. Também é possível programar os relatórios para serem executados em um intervalo definido pelo usuário e enviados para os destinatários.

 

 

Conclusão

Assim concluímos esta lição. Agora você já conhece bem os Dashboards e relatórios.

 

Módulo 4: Introdução ao vRealize Log Insight (30 minutos)

Visão geral do vRealize Log Insight


O vRealize Log lnsight possibilita o gerenciamento de logs em tempo real para ambientes da VMware, com agrupamento inteligente baseado em aprendizagem de máquina e pesquisa de alto desempenho, além de uma melhor solução de problemas nos ambientes físicos, virtuais e em nuvem.

Ingestão de alto desempenho

O vRealize Log Insight pode processar quaisquer tipos de dados de log ou máquina gerados, e suporta taxas de throughput bastante altas e baixa latência. Além disso, ele possui uma variedade de frameworks, que aceitam dados por meio de agentes de syslog, Windows e Linux, ou por uma API de ingestão de RESTful.

Dimensionamento

O dimensionamento horizontal do vRealize Log Insight pode ser realizado pelo uso de instâncias do appliance virtual. Isso permite o dimensionamento linear e a alta disponibilidade de throughput de ingestão e aumenta o desempenho de consulta. No modo de cluster, o vRealize Log Insight fornece nós ativos e mestres. Tanto os nós mestres quanto os nós ativos são responsáveis por um subconjunto de dados. Os nós mestres podem realizar consultas de todos os subconjuntos e agregar os resultados. O vRealize Log Insight fornece um Balanceador de cargas de trabalho para dimensionamento horizontal, permitindo que você realize o balanceamento e o dimensionamento horizontal de maneira imediata.

Pesquisa em tempo real

Os dados ingeridos pelo vRealize Log Insight ficam disponíveis em segundos. Além disso, os dados do histórico podem ser pesquisados na mesma interface também com baixa latência.

O vRealize Log Insight suporta consultas de palavras-chave inteiras. As palavras-chave são compostas de caracteres alfanuméricos, hífen ou sublinhado. Além disso, para consultas de palavras-chave inteiras, o vRealize Log Insight suporta consultas globais (por exemplo, erro?, vm*) e filtros baseados em campos (por exemplo, o nome do host NÃO corresponde a teste*; o IP contém "10.64"). Os campos de mensagens de log que contêm valores numéricos podem ser usados para definir filtros de seleção (por exemplo, CPU>80, 10<segmentos<100, assim por diante).

Os resultados de pesquisa são apresentados como eventos individuais. Cada evento tem origem em uma única fonte, mas os resultados de pesquisa podem ter várias fontes. Você pode usar o vRealize Log Insight para estabelecer a relação entre os dados de uma ou várias dimensões (por exemplo, identificadores de tempo e solicitação), fornecendo uma visualização coerente em toda a pilha. Dessa forma, a análise de causa raiz torna-se muito mais fácil.

Agente do vRealize Log Insight

O vRealize Log Insight usa um agente nativo do Windows e Linux para reunir dados de log dos servidores e desktops que usam esses sistemas operacionais. Você pode coletar eventos dos arquivos de log e canais de evento do Windows e encaminhá-los para o servidor do vRealize Log Insight. Algumas das vantagens são: configuração centralizada, facilidade de uso e compactação e criptografia de dados. Agentes de terceiros também são suportados, mas as vantagens citadas acima só serão aproveitadas se o agente for nativo.

Agrupamento inteligente

O vRealize Log Insight usa uma nova tecnologia de aprendizagem de máquina. O Agrupamento inteligente verifica os dados não estruturados que entram e rapidamente agrupa as mensagens por tipo de problema para proporcionar a você a capacidade de entender rapidamente os problemas que podem atingir seus ambientes físicos, virtuais e de nuvem híbrida. A guia Event Trends da página Interactive Analytics fornece uma análise automática dos seus eventos com contexto acerca de novas informações e detecção de anomalias. Agora podemos ver a tendência dos eventos em um período específico e detectar facilmente aqueles que possivelmente afetarão a integridade do seu ambiente ou aplicativo.

Agregação

Campos que são extraídos de dados de log podem ser usados para agregação. Isso se assemelha à funcionalidade que as consultas GROUP-BY fornecem em um banco de dados relacional ou tabelas dinâmicas no Microsoft Excel. A diferença é que não é necessário realizar processos de extração, transformação e carregamento (ETL, extract, transform, and load), e o vRealize Log Insight executa o dimensionamento para qualquer tamanho de dados.

Você pode gerar visualizações agregadas de dados e identificar eventos ou erros específicos sem a necessidade de acessar vários sistemas e aplicativos. Por exemplo, enquanto visualiza uma métrica importante do sistema (por exemplo, o número de erros por minuto), você pode ver os dados de um período específico de eventos de maneira detalhada e examinar os erros que ocorreram no ambiente.

Extração de campo de tempo de execução

Os dados de log brutos nem sempre são fáceis de entender, e você pode precisar processar alguns dados para identificar os campos que são importantes para pesquisa e agregação. O vRealize Log Insight extrai a maioria dos campos automaticamente, e você pode extrair dinamicamente um novo campo de dados. Esse processo é tão fácil quanto dar um duplo clique no texto da mensagem e selecionar "Extract Field". O regex é fornecido automaticamente com base na sua seleção. Os campos extraídos podem ser usados para seleção, projeção e agregação.

Dashboards

Você pode criar Dashboards de métricas úteis que você deseja monitorar de maneira mais próxima. Qualquer consulta pode ser ativada em um widget de Dashboard e resumida para qualquer período. Além disso, é possível conferir o desempenho do sistema nos últimos cinco minutos, na última hora ou dia. Os eventos de log mostram uma visualização detalhada de erros por hora, além de tendências.

Considerações sobre segurança

Os tomadores de decisão de TI, arquitetos, administradores, entre outros, que precisam se familiarizar com os componentes de segurança do vRealize Log Insight devem ler o Guia de segurança do VMware vRealize Log Insight. Para obter mais informações, consulte a documentação do vRealize Log Insight encontrada em https://www.vmware.com/support/pubs/log-insight-pubs.html.

O Guia de segurança contém referências concisas sobre os recursos de segurança do vRealize Log Insight. Os tópicos incluem as interfaces externas de produto, portas, mecanismos de autenticação e opções de configuração e gerenciamento de recursos de segurança.


 

Visão geral dos Dashboards

 

Dashboards: a página Dashboards funciona como uma seção de visão geral. Eles proporcionam a capacidade de visualizar rapidamente os dados de log e determinar os possíveis problemas do ambiente. O Log Insight fornece dois tipos diferentes de widget dentro de um Dashboard: gráficos e consultas. Os gráficos são uma representação visual dos dados e do widget mais comumente usado. As consultas são informações salvas que fornecem uma representação de dados visual e textual na página Interactive Analytics, mas que são listadas apenas por um nome definido na página Dashboards. Os widgets de consulta são geralmente usados quando um widget de gráfico não necessariamente oferece informações úteis.

Interactive Analytics: permite que os administradores e engenheiros realizem pesquisas usando strings de linguagem pura ou REGEX e visualizem detalhes de mensagens de log para determinar áreas problemáticas e realizem análises de causa raiz.

 

 

Visão geral de análises interativas

A página Interactive Analytics permite que os administradores e engenheiros vejam detalhes de mensagens de log para determinar áreas problemáticas e realizem análises de causa raiz.

Na parte superior da página, abaixo da barra de navegação, você notará uma seção com um plano de fundo preto. Essa seção fornece uma representação visual dos seus dados de log.

O gráfico dessa seção deve ser semelhante àquele dos widgets de gráfico que você encontra na página Dashboards. Por padrão, o gráfico de visão geral é um gráfico de barras que exibe a contagem de todos os eventos ao longo do tempo para as mensagens de log vistas nos últimos cinco minutos. O Log Insight se refere a dados ingeridos como eventos. Os eventos visualmente representados no gráfico de visão geral podem ser manipulados de diversas maneiras, mas o mais comum é que sejam alterados com o uso de funções e agrupamentos.

Muitas opções ficam disponíveis após a criação de uma consulta personalizada na página Interactive Analytics:

 

 

Visão geral de pacotes de conteúdo

Os pacotes de conteúdo são uma maneira eficiente de estender o Log Insight por meio do conhecimento predefinido sobre eventos particulares. Para navegar até a seção Content Packs, clique no ícone de três barras na barra de navegação e selecione Content Packs.

Um pacote de conteúdo consiste em vários componentes, que podem incluir:

 

 

Visão geral da administração

A seção de administração mostra informações sobre a integridade, bem como permite a modificação das definições de configuração. Todas as informações exibidas durante a execução do assistente de configuração inicial do produto podem ser modificadas na seção de administração. Há outros aspectos da seção de administração que não podem ser configurados durante a execução do assistente de configuração inicial, como o local em que os membros do cluster e agentes são gerenciados.

 

 

Configuração do vRealize Log Insight

Agora que conhecemos a finalidade do vRealize Log Insight, a próxima etapa é a configuração do nosso ambiente.

 

vSphere Log Events em detalhes


Nesta seção, usaremos o Log Insight para explorar os logs de um ambiente do vSphere. Geralmente, sem ferramentas de análise de log, como o Log Insight, os erros de log só serão visualizados se as cargas de trabalho falharem ou se degradarem, e os negócios forem impactados. Com o Log Insight, conseguimos descobrir eventos de log e padrões que podem acabar levando a problemas. Dessa forma, podemos tomar medidas antecipadamente. Nesta seção, focaremos as análises de log e os Dashboards, mas podemos usar esses mesmos princípios para criar alertas e encaminhá-los para o vRealize Operations ou pelo protocolo SMTP.


 

Abrir o Chrome

 

  1. Abra o navegador Google Chrome clicando duas vezes no ícone "Google Chrome" no desktop.

 

 

Visualização de logs no vRealize Log Insight

 

  1. Clique no Favorito "vRLogInsight" na barra de ferramentas. Como estamos executando a versão vCenter do vRealize Log Insight, você precisará confiar no certificado SSL, já que o certificado SSL da interface da Web só pode ser alterado no Log Insight com a versão vRealize Suite do Log Insight.
  2. Clique em "Advanced".
  3. Depois, clique em "Proceed to log-01a.corp.loca (unsafe)". Não se preocupe, é seguro.

 

 

Login no Log Insight

 

  1. User name: admin
  2. Password: VMware1!
  3. Clique em Login.

 

 

Dashboard General do Log Insight - Overview

 

Se você tiver se conectado ao vCenter anteriormente neste módulo, a primeira tela que verá será o Dashboard Overview em General.

  1. Caso você ainda não esteja nessa tela, clique na guia Dashboards.
  2. Esse é o título da categoria do Dashboard. Nele, você vê a origem dos Dashboards disponíveis. Para ver uma lista completa dos Dashboards instalados, clique na seta para baixo ao lado do título da categoria. Os Dashboards são criados dentro do Log Insight ou fazem parte de um Pacote de conteúdo. Por padrão, o Pacote de conteúdo do vSphere vem pré-instalado. Os Dashboards de qualquer outro pacote de conteúdo que você instalar são encontrados ao clicar na seta.
  3. Esta seção é uma lista dos Dashboards reais da categoria atual. A imagem acima mostra os Dashboards da VMware (Pacote de conteúdo do vSphere).
  4. Esta seção da tela permite que você aplique um filtro de data/período para limitar os dados exibidos no Dashboard.
  5. Esta seção mostra os filtros que estão disponíveis como parte do Dashboard. Os filtros permitem que você acesse rapidamente o Dashboard de um item/objeto específico no qual estiver interessado.
  6. Widgets: os widgets no Log Insight são configurados para realizar a consulta no banco de dados do log consolidado e mostram áreas específicas de interesse comum. Nesse caso, o widget está mostrando uma representação gráfica de todas as mensagens de log do vSphere e quando elas foram geradas. Os widgets podem ser organizados de várias maneiras e ter vários tamanhos.

 

 

Como alternar para Interactive Analytics

 

  1. Clique na guia Interactive Analytics.

 

 

Filtros

 

Após excluir o Event Type, as mensagens de log ficam retidas. Elas serão removidas apenas desta consulta, e o sistema criará automaticamente um filtro ou restrição excluindo esse tipo específico de evento.

 

 

Como chegar à página Dashboards

 

  1. Clique na guia Dashboards.

 

Módulo 5: Princípios básicos da administração (60 minutos)

Introdução


Este módulo contém as seguintes lições:


Gerenciamento de cluster


Um cluster vSphere é uma estrutura que permite a você agregar recursos computacionais. A estrutura dos clusters habilita recursos como o vSphere High Availability (HA) e o vSphere Distributed Resource Scheduler (DRS). Ela possibilita o gerenciamento de um grupo de máquinas virtuais e hosts ESXi para melhorar a utilização dos recursos. Quando você liga uma máquina virtual que faz parte de um cluster, recursos de qualquer local podem ser atribuídos a ela ali, sem que ela fique presa a um host vSphere ESXi específico. Se houver falha em um host ESXi, a máquina virtual será reiniciada em outro host ESXi dentro do cluster (desde que o HA esteja configurado). Se um host ESXi sofrer uma contenção, o DRS possibilita que o vMotion ajude a migrar a máquina virtual para outro host ESXi no cluster que tiver recursos disponíveis.


 

Vídeo: Criação de inventário do vCenter (datacenter, cluster, hosts) para o VMware vSphere (2 min 51 s)

O vídeo a seguir apresentará os conceitos básicos para começar a criar seu inventário do VMware vCenter Server usando o vSphere Web Client. Lembre-se de que essas tarefas também podem ser realizadas com o uso do vSphere Client, que também é conhecido como HTML5 Client.

 

Criação e edição de uma máquina virtual


Nesta lição, você verá o passo a passo para criar uma máquina virtual e editar suas configurações.


 

Abrir o Google Chrome

 

  1. Clique no ícone do Chrome na barra de tarefas de Início Rápido do Windows.

 

 

Criação de uma máquina virtual

 

Há várias maneiras de criar uma nova máquina virtual usando o vSphere Client. Nós usaremos o menu Actions no menu suspenso VMs and Templates. 

  1. Clique no menu suspenso Menu na parte superior da tela.
  2. Selecione "VMs and Templates" no menu suspenso.

 

 

Vídeo: Criação de máquina virtual, instalação de OS guest e instalação de VMware Tools (4 min 9 s)

Acabamos de concluir a criação da nossa máquina virtual, mas neste ponto, não há nenhum sistema operacional instalado. O ambiente do Hands-on Lab não tem recursos suficientes para permitir a conclusão do processo de instalação do OS guest e das VMware Tools. O vídeo a seguir mostrará o restante do processo. Lembre-se de que o vídeo usa o vSphere Web Client. Com isso, você terá a chance de ver como será o cliente. Todas essas tarefas também podem ser realizadas com o vSphere Client.

 

 

Edição das configurações de uma máquina virtual

 

Após criarmos uma máquina virtual, podemos mudar o hardware associado a ela, assim como uma máquina física.

  1. Clique com o botão direito do mouse em "linux-micro-01a.corp.local".
  2. Clique em "Edit Settings" para adicionar recursos físicos adicionais à máquina virtual.

 

Migração de uma máquina virtual


O VMware VMotion permite a migração em tempo real de máquinas virtuais em execução de um servidor físico para outro sem nenhum impacto perceptível para o usuário final. O vMotion é uma tecnologia fundamental para criar um data center dinâmico e totalmente automatizado.

Com o vMotion, você pode:


 

Migração de uma máquina virtual ligada com o vMotion

 

Primeiro, precisamos verificar onde a máquina virtual (VM) está sendo executada.

  1. Verifique se a guia VMs and Templates está destacada no painel de navegação.
  2. Clique em "linux-micro-01a".
  3. Clique na guia "Summary" no painel do contexto.
  4. Observe que o endereço IP da máquina virtual é 192.168.120.51.
  5. Verifique o "Host" em que a máquina virtual está sendo executada. Neste caso, a máquina virtual está sendo executada em "esx-01a.corp.local".

 

Como trabalhar com snapshots da máquina virtual


Os snapshots preservam o estado e os dados da máquina virtual no momento em que o snapshot é criado. Os snapshots são úteis para quando você precisa reverter a máquina virtual para um estado anterior. Você também pode criar vários snapshots de uma máquina virtual para criar pontos de restauração em um processo linear. Criar diversos snapshots permite a você salvar muitos pontos e acomodar os vários tipos de processos de trabalho. O Snapshot Manager no vSphere Web Client fornece várias operações para a criação e o gerenciamento de snapshots de máquinas virtuais e árvores de snapshot. Essas operações permitem que você crie snapshots, restaure qualquer snapshot na hierarquia de snapshots, exclua snapshots etc.

Um snapshot de uma máquina virtual preserva as seguintes informações:

Nesta lição, você criará um snapshot da máquina virtual, fará alterações no hardware da máquina virtual e no estado da configuração e reverterá para o estado original da máquina virtual, utilizando o vSphere Client Snapshot Manager.


 

Criação de um snapshot

 

A lição anterior deixou o vSphere Client aberto no painel de navegação VMs and Templates. Se você tiver fechado o Google Chrome ou o Web Client, navegue até VMs and Templates no vSphere Client.

Para iniciar o assistente de snapshot da máquina virtual:

  1. Localize linux-micro-01a e clique com o botão direito do mouse na máquina virtual.
  2. Passe o mouse sobre Snapshots.
  3. Selecione Take Snapshot no menu suspenso.

 

 

Gerenciamento de snapshots

 

Podemos exibir o histórico de snapshots da máquina virtual com o snapshot.

  1. Localize linux-micro-01a e clique com o botão direito do mouse na máquina virtual.
  2. Passe o mouse sobre Snapshots.
  3. Selecione Manage Snapshots no menu suspenso.

 

 

Reconfiguração de máquinas virtuais - Desligar a máquina virtual

 

Agora vamos desligar nossa máquina virtual:

  1. Clique com o botão direito do mouse em linux-micro-01a.
  2. Expanda o menu suspenso passando o mouse sobre Power.
  3. Clique em Power Off no menu suspenso e selecione Yes na caixa pop-up.

 

 

Gerenciamento de snapshots - Reverter as configurações da máquina virtual

 

Nesta etapa, você reverterá a configuração de CPU/memória da máquina virtual para o estado original usando o último snapshot.

  1. Selecione linux-micro-01a no painel de navegação, caso a opção ainda não esteja destacada.
  2. Clique no menu suspenso Actions.
  3. Passe o mouse sobre Snapshots.
  4. Clique em Revert to Latest Snapshot.

Observação: isso também pode ser feito ao selecionar "Manage Snapshots".Esse método proporciona um controle maior quando há muitos snapshots.

 

 

Limpeza do laboratório - Excluir snapshots

 

  1. Localize linux-micro-01a e clique com o botão direito do mouse na máquina virtual.
  2. Passe o mouse sobre Snapshots.
  3. Selecione Manage Snapshots no menu suspenso.

 

 

Limpeza do laboratório - Excluir snapshots (continuação)

 

  1. Clique no botão Delete All e clique em OK no pop-up que é exibido.
  2. Clique em Done.

 

 

 

Vídeo: snapshots de máquina virtual para VMware vSphere (2 min 32 s)

Neste laboratório, o snapshot foi usado para reverter a máquina virtual para um estado de hardware anterior. Um caso de uso típico pode ser a criação de um snapshot de uma máquina virtual antes da instalação de um pacote de software. Se algo der errado, você poderá reverter para um estado anterior e tentar novamente a instalação. O vídeo a seguir explicará melhor o valor dos snapshots de máquina virtual. Lembre-se de que o vídeo usa o vSphere Web Client. Com isso, você terá a chance de ver como será o cliente. Todas essas tarefas também podem ser realizadas com o vSphere Client.

 

Clonagem de máquinas virtuais e uso de templates


A VMware oferece diversas maneiras de provisionar máquinas virtuais do vSphere. Um método é criar uma única máquina virtual e instalar um sistema operacional nela para, em seguida, usá-la como uma imagem de base a partir da qual outras máquinas virtuais serão clonadas. É possível economizar tempo com a clonagem de uma máquina virtual se você estiver implantando várias máquinas virtuais semelhantes. Você pode criar, configurar e instalar softwares bom base em uma única máquina virtual. É possível cloná-la várias vezes, em vez de criar e configurar cada máquina virtual separadamente.

Outro método de aprovisionamento é a clonagem de uma máquina virtual em um template. Um template é a cópia principal de uma máquina virtual que você pode usar para criar e aprovisionar máquinas virtuais. A criação de um template pode ser útil quando você precisa implantar várias máquinas virtuais a partir de uma única linha de base, mas deseja personalizar cada sistema de maneira independente dos outros. Uma proposta de valor comum para o uso de templates é a economia de tempo. Caso você tenha uma máquina virtual que será clonada com frequência, transforme-a em um template e implante suas máquinas virtuais a partir dele.

Nesta lição, você clonará uma máquina virtual existente como um template e implantará uma nova máquina virtual a partir dele.


 

Clonagem de uma máquina virtual como template

 

Você ainda estará na guia VMs and Templates do painel de navegação.

  1. Localize linux-micro-01a e clique com o botão direito na máquina virtual.
  2. Passe o mouse sobre Clone.
  3. Selecione Clone to Template.

 

 

Implantação de uma máquina virtual a partir de um template

 

  1. Clique com o botão direito no template Tiny Linux Template.
  2. Clique em "New VM from This Template...".

 

 

Limpeza - Desligar TinyLinux-VM

 

Agora vamos desligar nossa máquina virtual:

  1. Clique com o botão direito do mouse em TinyLinux-VM.
  2. Expanda o menu suspenso passando o mouse sobre Power.
  3. Clique em Power Off no menu suspenso e selecione Yes na caixa pop-up.

 

 

Vídeo: Clonagem de máquina virtual e templates do VMware vSphere (4 min 4 s)

Para conhecer recursos adicionais de clonagem e templates do vSphere, assista ao vídeo a seguir. Lembre-se de que o vídeo usa o vSphere Web Client. Com isso, você terá a chance de ver como será o cliente. Todas essas tarefas também podem ser realizadas com o vSphere Client.

 

Abstração de armazenamento para gerenciamento mais eficiente e melhor controle



 

Visão geral do vSphere Storage

A lição a seguir fornece uma visão geral dos diferentes tipos de armazenamento disponíveis no vSphere. O vSphere Hypervisor, ESXi, fornece virtualização de armazenamento em nível de host, que abstrai logicamente a camada de armazenamento físico das máquinas virtuais.

A máquina virtual vSphere usa um disco virtual para armazenar seu sistema operacional, arquivos de programa e outros dados associados a suas atividades. Um disco virtual é um arquivo físico grande, ou um conjunto de arquivos, que pode ser copiado, movido, arquivado e copiado como backup da mesma forma que qualquer outro arquivo. Você pode configurar as máquinas virtuais com diversos discos virtuais.

Para acessar os discos virtuais, a máquina virtual usa os controladores SCSI virtuais. Esses controladores virtuais incluem BusLogic Parallel, LSI Logic Parallel, LSI Logic SAS e VMware Paravirtual. Esses controladores são os únicos tipos de controladores SCSI que uma máquina virtual pode ver e acessar.

Cada disco virtual reside em um datastore do vSphere Virtual Machine File System (VMFS) ou em um datastore com base em NFS, implantados em um armazenamento físico. Do ponto de vista da máquina virtual, cada disco virtual aparenta ser uma unidade SCSI conectada a um controlador SCSI. Se o dispositivo de armazenamento físico estiver sendo acessado por meio de SCSI paralelo, iSCSI, rede, Fibre Channel ou adaptadores FCoE no host, ele será transparente para o sistema operacional guest e para os aplicativos em execução na máquina virtual.

O processo de virtualização de armazenamento do vSphere começa com o espaço de armazenamento que o administrador aloca em sistemas de armazenamento diferentes antes da atribuição do vSphere ESXi. O vSphere oferece suporte a dois tipos de armazenamento: local e em rede. Ambos são detalhados nas próximas páginas.

 

 

Visualização da configuração de datastores

Este laboratório mostrará onde você pode analisar os detalhes sobre o armazenamento usado por sua infraestrutura virtual.

 

 

Termos comuns do armazenamento virtualizado

Esta lição conclui o laboratório com uma visão geral de alguns termos comuns:

 

Gerenciamento do armazenamento


O vRealize Operations Manager tem várias ferramentas que ajudam você a gerenciar seu armazenamento. Alertas que identificarão onde há problemas no ambiente, Dashboards que permitirão monitorar seu ambiente proativamente e relatórios prontos para uso que podem ser totalmente personalizados.


 

Abrir o navegador Chrome na barra de tarefas de Início Rápido do Windows

 

  1. Clique no ícone do Chrome na barra de tarefas de Início Rápido do Windows.

 

 

Login no vRealize Operations Manager

 

  1. Clique em "vROps" nos Favoritos do Google Chrome. Verifique se você está conectado a "vrops-01a.corp.local".
  2. Certifique-se de que "Authentication Source:" está preenchido com "Local Users".
  3. Digite admin no campo User name.
  4. Digite VMware1! no campo Password.
  5. Clique no botão "Log in".

Observação: todas as credenciais de usuários utilizadas neste laboratório são listadas no arquivo README.TXT no desktop.

 

 

Navegar até Dashboards

 

  1. Clique no menu suspenso Home.
  2. Clique em Dashboards.

 

  1. Clique em All Dashboards no menu suspenso.
  2. Marque a caixa de seleção Operations.

 

 

Dashboard de datastores do vSphere

 

O vRealize Operations tem vários Dashboards que podemos usar para ajudar no gerenciamento da nossa infraestrutura, incluindo o armazenamento.

  1. Na lista de Dashboards, clique em Datastore Usage Overview.

 

 

Gerenciamento nativo do vSAN

 

O gerenciamento do vSAN é nativamente integrado às versões mais recentes do vRealize Operations Manager.

  1. O ambiente do laboratório não usa o vSAN, mas clicar em vSAN Operations Overview ou Optimize vSAN Deployments pode fornecer informações importantes para ajudar você a gerenciar os clusters vSAN que estão em uso.

Para ter mais visibilidade do seu ambiente de armazenamento, o vRealize Operations Management Pack for Storage Devices (MPSD) pode ser instalado em qualquer edição Advanced ou Enterprise do vRealize Operations Manager. O Management Pack conecta-se a qualquer dispositivo de armazenamento que tenha um provedor de VASA (VMware APIs for Storage Awareness) e switches SAN/NAS da Brocade ou Cisco usando SMI-S. Os dados de desempenho são coletados a partir de HBA do host, NIC, máquinas virtuais e switches SAN/NAS.

O MPSD proporciona visibilidade do seu ambiente de armazenamento. Ao usar protocolos comuns para coletar dados de desempenho e integridade dos dispositivos de armazenamento, Dashboards predefinidos permitem que você siga o caminho de uma máquina virtual até o volume de armazenamento e identifique qualquer problema que possa ocorrer ao longo desse caminho. Não há visibilidade além do caminho de armazenamento, a menos que haja pacotes de virtualização de armazenamento de hardware do fornecedor instalados, e isso exigiria novamente as edições Advanced ou Enterprise do vRealize Operations Manager. Veja alguns dos benefícios do MPSD:

Observação: Management Packs habilitam a extensibilidade do vRealize Operations Manager. Os Management Packs que lidam com os componentes de infraestrutura exigem as edições Advanced ou Enterprise do vROPs. Há também Management Packs no nível do aplicativo para SQL, Oracle, entre outros. Os Management Packs no nível do aplicativo exigem a edição Enterprise do vROPs.

 

Criação e gerenciamento da infraestrutura virtual - Dimensionamento horizontal


O vSphere with Operations Manager é ideal para ambientes pequenos e pode ser dimensionado verticalmente para atender às demandas de grandes empresas. Com uma arquitetura de dimensionamento vertical e horizontal, o vSOM acompanha o crescimento do seu ambiente. Além disso, a arquitetura flexível permite fazer implantações geográficas.


 

vCenter Server - Limites de configuração

Observação: clique no link para ver uma lista completa dos atuais limites de configuração do vSphere v6. Você verá orientações para versões futuras no GA (disponibilidade geral).

 

 

vRealize Operations - Vídeo sobre a visão geral da arquitetura (3 min 30 s)

 

 

vRealize Operations Manager - Limites de configuração

O vRealize Operations (vROps) fornece uma arquitetura escalável de cluster/nó que pode dimensionar os maiores ambientes.

Observação: os limites de configuração se aplicam ao vRealize Operations v6.1 e v6.2. Você verá orientações para versões futuras no GA (disponibilidade geral).

 

 

vRealize Operations - Vídeo sobre dimensionamento (3 min 3 s)

 

Conclusão


Este módulo forneceu o passo a passo para realizar muitas tarefas de gerenciamento diárias que são executadas por administradores de virtualização diariamente em todo o mundo. Você aprendeu várias formas de criar, editar e gerenciar máquinas virtuais. Também foram explicados os vários tipos de armazenamento que as máquinas virtuais podem usar, e as ferramentas que o vSphere with Operations Management fornece para ajudar você a monitorar esse armazenamento. Por fim, você aprendeu sobre o dimensionamento do vSphere.

Esperamos que você tenha gostado deste módulo e que agora conheça melhor os conceitos básicos de uso do vSphere 6.5. Não esqueça de responder à pesquisa no final.


 

Você terminou o Módulo 5

Parabéns por concluir o Módulo 5.

Se você deseja obter mais informações sobre como administrar e gerenciar o vSphere with Operations Management, consulte estes materiais:

Continue em qualquer módulo abaixo que seja do seu interesse.

 

 

 

Como encerrar o laboratório

 

Se este é o último módulo do laboratório para você, conclua-o clicando no botão END.

 

Módulo 6: Upgrade do vCenter (30 minutos)

Introdução


Este módulo contém as seguintes lições:


Upgrade do vCenter


O vSphere fornece muitas opções para fazer upgrade da sua implantação. Para conseguir realizar o upgrade do vSphere corretamente, você precisa entender as opções disponíveis, os detalhes da configuração que impactam o processo e a sequência de tarefas. Este módulo abordará o processo de upgrade do vCenter Server para a versão mais recente usando os fluxos de trabalho padrão de upgrade. Devido ao tempo necessário para fazer upgrade de um ambiente, apenas falaremos sobre cada caminho de upgrade.


 

Visão geral do processo de upgrade do vCenter Server

A VMware fornece muitas opções para fazer upgrade para o vCenter Server 6.5.

Você pode migrar ou fazer o upgrade da sua instalação do vCenter Server versão 5.5 ou 6.0 para a versão 6.5 usando o método mais adequado aos seus requisitos ou objetivos de implantação. Você não conseguirá fazer o upgrade do vCenter Server 5.1 ou anterior diretamente para o vCenter Server 6.5. Será necessário primeiro fazer o upgrade para o vCenter Server 5.5 ou 6.0.

 

 

Tarefas de upgrade de alto nível do vCenter Server

 

Selecione seu upgrade:

 

 

Métodos de upgrade compatíveis com o vCenter Server

Se você planeja executar o vCenter em um servidor físico no Windows, verifique se seu hardware atende aos requisitos necessários para executar o vCenter.

 

 

Serviços e componentes do vCenter Server

O vCenter Server 6.5 fornece uma plataforma centralizada para gerenciamento, operação, aprovisionamento de recursos e avaliação de desempenho de máquinas virtuais e hosts.

Quando você faz o upgrade para o vCenter Server ou para o vCenter Server Appliance usando um Platform Services Controller incorporado, o vCenter Server, os componentes dele e os serviços incluídos no Platform Services Controller são implantados no mesmo sistema.

Por outro lado, quando faz o upgrade para o vCenter Server ou implanta o vCenter Server Appliance usando um Platform Services Controller externo, o vCenter Server e os componentes dele são implantados em um sistema, e os serviços incluídos no Platform Services Controller são implantados em outro.

Os componentes a seguir são incluídos nas instalações do vCenter Server e do vCenter Server Appliance:

 

 

Compatibilidade do upgrade do vCenter Server

O upgrade para o vCenter Server afeta outros componentes do data center. O vCenter Server 6.5 pode gerenciar os hosts ESXi 5.5 ou 6.0 no mesmo cluster com a próxima versão do ESXi. Não será possível gerenciar hosts ESXi 5.1 ou versões anteriores na próxima versão principal do vCenter Server.

Como mencionado no início deste módulo, não será possível fazer o upgrade direto para o vCenter Server 6.5 a partir do vCenter Server 5.1 ou versões anteriores. Será necessário primeiro fazer o upgrade para o vCenter Server 5.5 ou 6.0.

 

Conclusão


Este módulo apresentou alguns fatores que você deve considerar ao fazer o upgrade de uma versão anterior do vSphere para o vSphere 6.5.


 

Você terminou o Módulo 6

Parabéns por concluir o Módulo 6.

Se você estiver procurando informações adicionais sobre como fazer o upgrade para o vSphere 6.5, consulte um destes materiais:

Continue em qualquer módulo abaixo que seja do seu interesse.

 

 

 

Como encerrar o laboratório

 

Se este é o último módulo do laboratório para você, conclua-o clicando no botão END.

 

Módulo 7: Migração para o vCenter Server Appliance (30 minutos)

Introdução


Este módulo contém as seguintes lições:


Simulação interativa dos Hands-on Labs: migração para o vCenter Server Appliance


O objetivo deste módulo é demonstrar como fazer o upgrade e migrar um "vCenter Server 5.5 do Windows" usando um "banco de dados do SQL Server" conectado a um "servidor SSO do Windows" externo para um novo "vCenter Server Appliance (vCSA)" com um "banco de dados vPosgres incorporado" conectado a um "Platform Services Controller (PSC)".

Isso é possível graças ao assistente de migração para vSphere 6.5, que é iniciado separadamente no vCenter Server no Windows e no servidor do Single Sign-On no Windows, respectivamente.

Observação: a VMware recentemente anunciou a ferramenta de migração do vCenter Server: vSphere 6.0 Atualização 2m. Essa é uma versão separada do assistente de migração para o vSphere 6.5 que abordaremos neste módulo. Durante o ano de 2013, a VMware lançou o conversor Fling VCS para VCVA baseado em uma ideia vencedora do concurso Fling anual. O conversor Fling VCS para VCVA permitiu aos clientes migrar todo o vCenter Server 5.5 no Windows, o que inclui a configuração, o inventário, os dados históricos e a identidade para um vCenter Server Appliance 5.5. Embora o conversor Fling VCS para VCVA pudesse atender às necessidades de uma ferramenta de migração completa, ele foi lançado com um subconjunto de recursos. Com isso, foi possível conseguir disponibilidade da versão Fling e feedback de clientes mais rapidamente.A VMware aprendeu com a melhoria do conversor Fling VCS para VCVA e adição de mais recursos, o que resultou no vSphere 6.0 Atualização 2m.

Uma grande diferença entre essas duas versões é o vSphere Update Manager 5.5/6.0 que pode ser atualizado e migrado para o vCenter Server Appliance 6.5 usando o assistente de migração para vSphere 6.5. Isso acontece porque o vSphere Update Manager será executado no vCenter Server Appliance verão 6.5.


 

Visão geral do processo de migração

A migração de um vCenter no Windows com um SSO externo para o novo vCenter Server Appliance com um Platform Services Controller externo é um processo de duas etapas. Se quiser, o processo permitirá que você migre tudo (configuração, eventos, tarefas e métricas de desempenho) para o novo vCenter Server Appliance. Isso é opcional e pode impactar a duração da migração.

Antes dessa ferramenta, uma migração manual como esta resultaria em um identificador único universal (UUID, Universal Unique Identifier) e um novo ID de referência do objeto gerenciado (MoRef, Managed Object Reference), levando a desafios para os aplicativos externos.

Esse processo de migração para o vCenter Server Appliance consiste em duas etapas (para cada origem):

• Etapa 1: Implantação de um novo appliance/OVF

• Etapa 2: Configuração do servidor do appliance

Esta simulação passará por todas as etapas da migração para vCenter Server Appliance. Esse é um processo longo e que exige muitos recursos para ser feito em tempo real no ambiente do laboratório.

1. Clique aqui para abrir a simulação interativa. Ela será aberta em uma nova janela ou guia do navegador.

2. Quando terminar, clique no link "Return to the lab" ou feche a janela para continuar o laboratório.

 

Conclusão


Neste módulo, você realizou o processo de migração para o vSphere 6.5. A ferramenta de migração integrada simplifica esse processo em comparação com as versões anteriores do vSphere.


 

Você terminou o Módulo 7

Parabéns por concluir o Módulo 7.

Se você estiver procurando informações adicionais sobre a migração para o vCenter Server Appliance, consulte estes materiais:

Continue em qualquer módulo abaixo que seja do seu interesse.

 

 

 

Como encerrar o laboratório

 

Se este é o último módulo do laboratório para você, conclua-o clicando no botão END.

 

Módulo 8: Alta disponibilidade e Continuidade de negócios (60 minutos)

Introdução


Este módulo contém as seguintes lições:


Visão geral do vCenter Server High Availability


A próxima versão do vCenter apresenta uma opção nativa para proteger uma implantação do vCenter Server contra falhas de hardware.

O High Availability (HA) envolve a configuração de um nó passivo do vCenter Server e de um nó de testemunha, além do nó ativo do vCenter Server que você está tentando proteger. O vCenter Server HA proporciona uma experiência de alta disponibilidade aprimorada. Este laboratório abordará explicações sobre o vCenter Server HA.


 

vCenter Server High Availability

 

A configuração do High Availability envolve a definição de um nó passivo do vCenter Server e de um nó de testemunha, além do nó ativo do vCenter Server que você está tentando proteger. Os três nós formam o cluster do vCenter Server HA.

 

 

Fluxos de trabalho Basic e Advanced para o vCenter Server HA

Há dois fluxos de trabalho que podem implantar o vCenter server HA: Basic e Advanced. O fluxo de trabalho Basic pode ser usado na maioria das circunstâncias, como quando o vCenter Server é autogerenciado (por exemplo, o vCenter Server está gerenciando os hosts em que ele mesmo está sendo executado) ou se ele está sendo executado em outro vCenter Server de gerenciamento que faz parte do mesmo domínio do SSO. Assim como o nome sugere, esse fluxo de trabalho é muito simples e cria os nós passivo e de testemunha automaticamente. Ele também criará as regras antiafinidade do DRS se o DRS estiver ativo no cluster de destino e usar o DRS de armazenamento para colocação inicial, se ativado. Há certa flexibilidade integrada a esse fluxo de trabalho, de forma que os usuários podem escolher hosts de destino, datastores e redes específicos para cada nó. No entanto, a ideia é que esta é uma forma muito simples e fácil de trabalhar com o cluster do vCenter Server High Availability.

A alternativa é o fluxo de trabalho Advanced. Esse fluxo de trabalho pode ser usado quando os nós ativo, passivo e de testemunha forem implantados em diferentes clusters, vCenter Servers que não fizerem parte do mesmo domínio SSO ou mesmo em outros data centers. Esse processo exige que o administrador clone manualmente o vCenter Server de origem para os nós passivo e de testemunha e, então, coloque-os nos locais desejados com as configurações adequadas de endereço IP. Esse é certamente um processo que exige mais envolvimento, mas proporciona mais flexibilidade para os clientes que precisam dele.

 

O gráfico acima mostra com detalhes quando usar os fluxos de trabalho Basic ou Advanced para habilitar o vCenter Server High Availability. Lembre-se de que esses dois fluxos de trabalho levam a uma solução idêntica. Nenhuma funcionalidade adicional é obtida pelo uso do fluxo de trabalho Advanced. O fluxo de trabalho Basic deve ser usado sempre que possível, já que ele é realmente o botão mais fácil para habilitar o vCenter Server HA. Executar o fluxo de trabalho Advanced exige muito mais trabalho.

 

 

Informações adicionais sobre o vCenter Server High Availability

Para obter mais informações sobre o VCHA, consulte este vídeo de lightboard. Além disso, a próxima lição explicará como configurar o VCHA usando uma simulação.

 

vCenter Server Appliance: Platform Services Controller High Availability (PSC HA)


O vCenter Server Appliance 6.5 apresenta uma opção nativa para proteger uma implantação do vCenter Server contra falhas em hardware, hosts e serviços do vCenter Appliance.  

Os Platform Services Controllers (PSC) também oferecerão suporte nativo para alta disponibilidade, mas exigem um balanceador de carga externo durante a configuração de Platform Services Controllers externos para alta disponibilidade. Neste laboratório, faremos uma simulação interativa (iSIM, Interactive Simulation) sobre a configuração da alta disponibilidade para o vCenter Server Appliance. Além disso, a configuração dos Platform Services Controllers para alta disponibilidade é uma tarefa avançada, então fornecemos apenas algumas informações básicas de arquitetura sobre essa configuração.


 

Platform Services Controller High Availability (PSC HA)

Teremos agora algumas páginas com uma simulação interativa (iSIM, Interactive Simulation) sobre a configuração do vCenter Server High Availaibility, que contém a versão anterior do vSphere Web Client. Portanto, lembre-se de que, na simulação, depois de clicar no vCenter Server, nós clicamos na guia Manage em vez da guia Configuration da nova versão. Haverá algumas diferenças no nome e no conteúdo das páginas, que terão uma aparência diferente entre a versão antiga e a mais recente do vSphere Web Client. Mas o processo de configuração é basicamente o mesmo.

 

Também estamos oferecendo o Platform Services Controller High Availability (PSC HA), o que significa que você precisará usar um balanceador de carga de terceiros para obter alta disponibilidade para a sua infraestrutura de Platform Services Controller (PSC).  

O PSC funcionará mais como o DNS, onde cada vCenter saberá onde todos os Platform Services Controllers estão em seu domínio. No caso de falha de qualquer serviço dos Platform Services Controllers, o vCenter fará automaticamente o failover para o próximo Platform Services Controller. O diagrama acima mostra como isso funciona. As setas grandes são onde o vCenter tem afinidade (onde ele foi instalado). Se um Platform Services Controller falhar, o vCenter poderá fazer failover por uma das linhas pontilhadas para outro Platform Services Controller.

O modo de alta disponibilidade é obtido quando os vCenters e os Platform Services Controllers estão todos no mesmo nível funcional (tudo está no mesmo nível do build principal). Você poderá operar no modo misto, mas o PSC HA não estará operacional.

Para obter informações mais detalhadas sobre como configurar a alta disponibilidade para os Platform Services Controllers combinados ao vCenter Server Appliance 6.5, consulte o artigo da VMware Knowledge Base aqui.

OBSERVAÇÃO: os links no manual do laboratório são apenas para referência, e os ambientes de Hands-on Lab NÃO PODERÃO ser conectados à Internet. Portanto, não podemos acessá-los na maioria dos casos, mas podemos salvar o link tomando nota do endereço da Web ou tirando uma foto com a câmera de um celular.

 

 

vSphere Web Client (versão mais recente)

 

OBSERVAÇÃO: nesta lição, estamos apenas fazendo referência às capturas de tela e não realmente analisando e manipulando nada no ambiente de laboratório em que você está trabalhando no momento.

Dependendo de qual versão do vSphere Web Client estivermos analisando, você verá algumas pequenas diferenças, como nomes de guias e botões no painel de conteúdo principal. Nesta lição em particular, em que estamos explorando a configuração da alta disponibilidade para o vCenter Server:

  1. Vemos que o nome da guia para acesso à seção de configuração do vCenter Server High Availability é Configure (na nova versão, o nome da guia é Manage).
  2. Depois de clicar em vCenter Server High Availability, clicamos no botão Configure (no cliente antigo, o botão se chama New Configuration).

 

 

vSphere Web Client (versão anterior)

 

Na simulação interativa (iSIM, Interactive Simulation) que assistiremos em breve, temos uma versão do vSphere Web Client anterior àquela que está atualmente no ambiente de laboratório:

  1. Na simulação, precisamos clicar no vCenter Server e depois na guia Manage (no cliente novo, a guia se chama Configure).
  2. Em seguida, selecionamos vCenter Server High Availability e clicamos no botão New Configuration para começar a configurar a alta disponibilidade (no cliente novo, o botão se chama Configure).

 

 

Hands-on Labs: Simulação interativa (iSIM) - vCenter Server High Availability

Iniciaremos agora a simulação interativa (iSIM, Interactive Simulation). Esta simulação o guiará pela configuração do vCenter Server High Availability. Ao terminar a simulação interativa (iSIM), retorne a esta página do manual do laboratório para continuar este módulo.

Simulação interativa (iSIM): vCenter Server High Availability - CLIQUE AQUI PARA INICIAR A SIMULAÇÃO INTERATIVA (iSIM).

OBSERVAÇÃO: o vídeo atual foi gravado com a versão anterior do vSphere Web Client. Portanto, você verá que alguns nomes de guias e telas são um pouco diferentes da versão mais atual do vSphere Web Client. Além disso, na simulação interativa (iSIM), onde for necessário digitar algo em um campo de texto, será inserido o texto adequado para você, independentemente do que você tentar digitar nos campos de texto.

 

 

Visão geral do vCenter Server Appliance e do Platform Services Controller High Availability (conclusão)

Embora esta tenha sido uma breve visão geral da arquitetura associada à configuração de Platform Services Controllers externos em alta disponibilidade, esperamos que as opções da arquitetura do vCenter Server façam mais sentido agora e esclareçam suas dúvidas sobre por que e como projetar um ambiente do vSphere com base em suas necessidades individuais.

 

Demonstração da resiliência a falhas de componentes de rede


Este laboratório mostra como utilizar o VMware vSphere Web Client para ativar e configurar redundância de rede para proteger os sistemas contra falhas de rede.


 

Abrir o navegador Chrome na barra de tarefas de Início Rápido do Windows

 

  1. Clique no ícone do Chrome na barra de tarefas de Início Rápido do Windows.

 

 

Login no vCenter

 

 

Primeiro, vamos analisar o status do laboratório e a configuração do Platform Services Controller:

Faça login no RegionA vCenter e verifique se ele está funcionando como o esperado.

  1. Clique no link na barra favoritos - RegionA vCenter
  2. Marque a caixa de seleção Use Windows session authentication.
  3. Clique em Login.

 

 

Navegar até Hosts and Clusters

 

  1. Primeiro, acesse o botão "Home".
  2. Selecione "Hosts and Clusters".

 

 

Verifique o switch virtual de Teaming e de failover

 

  1. Certifique-se de que esteja na guia de navegação Networking.
  2. Clique em VM-RegionsA01-vDS-COMP.
  3. Selecione a guia Configure.
  4. Clique em Policies na seção Settings.
  5. Encontre a configuração Teaming and Failover para o grupo de portas VM Network.

Aqui, podemos ver que o grupo de portas foi configurado para distribuir o tráfego de rede por todos os uplinks disponíveis usando a política Rota baseada na porta virtual de origem. Isso detectará uma falha de rede apenas se um link for declarado como indisponível no nível da camada 2. Nós também podemos ver que, se um uplink voltar a ficar on-line após uma falha, ele será automaticamente adicionado à equipe de rede.

 

 

 

Usando o vSphere Web Client, nós podemos facilmente traçar as interfaces de rede sendo usadas por uma máquina virtual, por exemplo. Neste caso, podemos ver que a máquina virtual html5-app tem o tráfego de rede roteado através de vmnic0 e vmnic1.

 

vSphere Replication


O VMware vSphere Replication é uma solução de replicação assíncrona baseada em hypervisor para máquinas virtuais do vSphere. Ele é totalmente integrado ao VMware vCenter Server e ao vSphere Web Client. O vSphere Replication fornece replicação flexível, confiável econômica para proteção de dados e recuperação de desastres para todas as máquinas virtuais em seu ambiente.

As soluções de Continuidade de negócios e Recuperação de desastres (BC/DR) da VMware geram automação, eficiência, proteção de dados e validação da estratégia de BC/DR de nível corporativo de uma organização. Aprenda a reduzir o tempo de inatividade e aumentar a disponibilidade de seus aplicativos e serviços com o Site Recovery Manager (SRM).

Para entender melhor o Site Recovery Manager (SRM) e o vSphere Replication, considere realizar este laboratório: HOL-1805-01-SDC: Site Recovery Manager - Migração de data center e recuperação de desastres.


Conclusão


Este módulo incluiu uma variedade de casos de uso cenários para apresentar a você as ferramentas e recursos que você pode usar para ajudar a garantir que sua infraestrutura virtual permaneça disponível. Ele abordou o novo recurso de alta disponibilidade para o vCenter Server Appliance. Ele também mostrou que você pode proteger sua rede contra falhas, apresentando alguns tópicos sobre Continuidade de negócios avançada e Recuperação de desastres.


 

Você terminou o Módulo 8

Parabéns por concluir o Módulo 8.

Se você estiver procurando informações adicionais sobre a alta disponibilidade e a Continuidade de negócios, consulte estes materiais:

Continue em qualquer módulo abaixo que seja do seu interesse.

 

 

 

Como encerrar o laboratório

 

Se este é o último módulo do laboratório para você, conclua-o clicando no botão END.

 

Conclusion

Thank you for participating in the VMware Hands-on Labs. Be sure to visit http://hol.vmware.com/ to continue your lab experience online.

Lab SKU: ManualExport-HOL-1811-02-SDC.zip

Version: 20171201-215750