VMware Hands-on Labs - HOL-1811-01-SDC-LT


Visão geral do laboratório - HOL-1811-01-SDC - O que há de novo no vSphere 6.5

Orientação do laboratório


Observação: este laboratório levará mais de 90 minutos para ser concluído. Espera-se que você termine apenas de 2 a 3 módulos durante o horário disponível para você.  Os módulos são independentes uns dos outros para que você possa começar do início de cada um deles e prosseguir de onde parou. Use o Índice para acessar qualquer módulo à sua escolha.

Ele pode ser acessado no canto superior direito do manual do laboratório

Lista de módulos de laboratório:

 Responsáveis pelo laboratório:

 Este manual do laboratório pode ser obtido por download no site de documentos de Hands-on Labs em:

http://docs.hol.vmware.com 

Este laboratório pode estar disponível em outros idiomas. Para definir sua preferência de idioma e ter um manual localizado implantado com seu laboratório, este documento pode orientá-lo pelo processo:

http://docs.hol.vmware.com/announcements/nee-default-language.pdf


 

Localização do console principal

 

  1. A área dentro da caixa VERMELHA contém o console principal. O manual do laboratório está na guia à direita do console principal.
  2. Um laboratório específico pode ter outros consoles em guias separadas na parte superior esquerda. Se necessário, você será orientado a abrir outro console específico.
  3. Seu laboratório começa com 90 minutos no cronômetro. Não é possível salvar o laboratório. Você deve fazer todo o seu trabalho durante a sessão do laboratório. No entanto, é possível clicar em EXTEND para aumentar o tempo. Se você estiver em um evento da VMware, poderá estender o tempo do laboratório duas vezes, por no máximo 30 minutos. Cada clique acrescenta 15 minutos. Exceto pelos eventos da VMware, você pode estender o tempo do seu laboratório por no máximo 9 horas e 30 minutos. Cada clique acrescenta uma hora.

 

 

Métodos alternativos de entrada de dados por teclado

Durante este módulo, digite o texto no console principal. Além da digitação direta, há dois métodos muito práticos que facilitam a entrada de dados complexos.

 

 

Clicar e arrastar conteúdo do manual do laboratório para a janela ativa do console

Você também pode clicar e arrastar texto e comandos da interface de linha de comando (CLI, Command Line Interface) diretamente do manual do laboratório para a janela ativa no console principal.  

 

 

Acesso ao teclado internacional on-line

 

Você também pode usar o teclado internacional on-line do console principal.

  1. Clique no ícone de teclado que fica na barra de tarefas de Início Rápido do Windows.

 

 

Prompt ou marca d'água de ativação

 

Quando você iniciar o laboratório pela primeira vez, poderá observar uma marca d'água no desktop que indica que o Windows não está ativado.  

Um dos principais benefícios da virtualização é que as máquinas virtuais podem ser movidas e executadas em qualquer plataforma. Os Hands-on Labs utilizam esse benefício, e é possível executá-los em vários data centers. No entanto, esses data centers podem não ter processadores idênticos, o que aciona uma verificação de ativação da Microsoft pela Internet.

A VMware e os Hands-on Labs estão em total conformidade com os requisitos de licenciamento da Microsoft. O laboratório que você está usando é um pod autocontido e não tem o acesso completo à Internet necessário para que o Windows verifique a ativação. Sem o acesso completo à Internet, esse processo automatizado falha e a marca d'água é exibida.

Esse problema superficial não afeta seu laboratório.  

 

 

Observar a parte inferior direita da tela

 

Verifique se foram concluídas todas as rotinas de inicialização do seu laboratório e se ele está pronto para você começar. Se aparecer algo diferente de "Ready", aguarde alguns minutos. Após cinco minutos, se o laboratório ainda não aparecer como "Ready", peça ajuda.

 

Módulo 1: O que há de novo no vSphere 6.5 (60 minutos)

Introdução


A VMware anunciou o vSphere 6.5, que é uma das versões do vSphere com mais recursos dos últimos tempos. O vCenter Server Appliance está assumindo o controle nesta versão com vários novos recursos que abordaremos neste artigo de blog. Por esse motivo, o vCenter Server Appliance é a prática recomendada em relação ao vCenter Server baseado no Windows. Para os iniciantes, o instalador foi reformulado com uma aparência mais moderna. Os usuários de Linux e Mac também ficarão empolgados, pois o instalador agora tem suporte nessas plataformas, além do Microsoft Windows. O vCenter Server Appliance agora também se baseia no sistema operacional Photon da VMware, em vez do sistema operacional anterior baseado em Linux da VMware. Muitos dos aprimoramentos na versão vSphere 6.5 estão relacionados à simplificação radical da experiência do usuário.

O vCenter Server Appliance agora tem recursos exclusivos, como:

Há diversos outros aprimoramentos no vSphere 6.5 que, entre outros recursos, incluem:

Neste laboratório, abordaremos alguns desses novos aprimoramentos do vSphere 6.5. Porém, como são tantos, abordaremos apenas um subconjunto deles. Há outros laboratórios do vSphere 6.5 que oferecem informações mais detalhadas e oferecem a possibilidade de percorrer a configuração desses recursos novos ou aprimorados.

Neste laboratório, abordaremos os seguintes itens:

Para recursos adicionais incluídos nos aprimoramentos do vSphere 6.5, leia a seção Conclusão deste laboratório, que fornece alguns links para recursos.


vCenter Server Appliance: visão geral


Com o lançamento do vSphere 6.5, o vCenter Server Appliance (vCSA) superou o conjunto de recursos e o desempenho do vCenter Server para Windows. Os valores máximos de configuração são iguais entre os dois desde o vSphere 6.0. Há dois componentes principais: o vCenter e o Platform Services Controller. Dependendo do tamanho do modelo de implantação e de suas necessidades, o Platform Services Controller pode ser integrado ao vCenter Server ou externo. Esses conceitos e a arquitetura serão abordados mais adiante neste módulo.


 

Por que o VCSA 6.5 deve ser a opção de implantação padrão

Para os iniciantes, o instalador foi reformulado com uma aparência mais moderna. Os usuários de Linux e Mac também ficarão empolgados, pois o instalador agora tem suporte nessas plataformas, além do Microsoft Windows. Agora há um processo de implantação em duas partes para o vCenter Server Appliance. A primeira parte implanta o próprio appliance, e a segunda define todas as opções de configuração que você definiu durante a implantação. O benefício disso é que você pode tirar um snapshot do appliance quando a primeira etapa é concluída. Esse processo permite que você economize tempo se houver uma falha na implantação durante a segunda etapa. Basta voltar ao snapshot e iniciar a segunda etapa novamente. Isso reduz muito o tempo que leva para os administradores implantarem o vCenter Server Appliance quando há algum problema na implantação.

Se isso não fosse suficiente, o vCenter Server Appliance agora tem recursos exclusivos, como:

Há vários outros aprimoramentos gerais:

Devido a todos os aprimoramentos do vCenter Server Appliance mencionados anteriormente, a VMware recomenda fortemente que o vCenter Server Appliance seja usado no lugar do vCenter Server baseado em Windows. Essa é a prática recomendada da VMware para implantação e uso do vCenter Server.

 

 

Segurança

Embora o vCenter Server Appliance tenha sido baseado anteriormente em uma 'edição da VMware' personalizada de um appliance SUSE Enterprise Linux, o vCSA 6.5 executa o PhotonOS. O PhotonOS é um sistema operacional Linux especificamente criado pela VMware para virtualização. Portanto, ele vem pré-reforçado e não oferece suporte à instalação de software de terceiros. A configuração desabilita serviços desnecessários, utiliza firewall de host e interfaces de rede especiais, além de remover contas locais que não sejam referentes à administração do aplicativo. A VMware pré-reforça o vCenter Server Appliance usando as diretrizes aplicáveis do STIG de SRG Unix. Os clientes não instalam software no VCSA, a não ser as atualizações obtidas da VMware. Não há nenhuma interface de uso geral para o sistema operacional Linux. Até a interface SSH, reservada para administradores, é desativada por padrão.

OBSERVAÇÃO: os links no manual do laboratório são apenas para referência, e os ambientes de Hands-on Lab PODEM NÃO ESTAR conectados à Internet. Portanto, não podemos acessá-los na maioria dos casos, mas podemos salvar o link tomando nota do endereço da Web ou tirando uma foto com a câmera de um celular.

 

 

Lições do módulo

O restante deste módulo foca em lições sobre estes aprimoramentos de recursos.

 

vCenter Server Appliance: gerenciamento


A interface de usuário de gerenciamento do vCenter Server Appliance (anteriormente conhecida como VAMI) serve como um ponto de controle para monitorar e gerenciar o vCenter no nível do appliance, mesmo quando a interface do vSphere Web Client está desativada. Além de definir e editar configurações de rede e hora, podemos verificar se há atualizações do appliance automaticamente, editar credenciais de login e monitorar a utilização de recursos. O banco de dados do vCenter Server pode ser monitorado por tipo de dados e também envia alertas quando determinados limites são atingidos.

A interface de usuário de gerenciamento do Appliance é totalmente em HTML, sem mais nenhuma dependência de plug-ins Flash. Isso melhora muito a experiência do usuário devido ao desempenho do HTML em relação ao Flash.

Nesta lição, você realizará duas tarefas principais:


 

Iniciar o Google Chrome

 

Se o Google Chrome ainda não estiver aberto, você poderá:

  1. Clicar duas vezes no ícone do Google Chrome no desktop do console principal.
  2. Ou clicar uma vez no ícone na barra de Início Rápido.

OBSERVAÇÃO: se o Google Chrome já estiver aberto, continue na próxima etapa.

 

 

Marcador do vCenter Appliance

  1. Clique na pasta HOL Admin na barra de favoritos do Google Chrome.
  2. Clique em vcsa-01a Mgmt.

 

 

Fazer login no console de gerenciamento do vCenter Appliance

  1. Na barra de favoritos, clique na pasta HOL Admin.
  2. Clique em vcsa-01a Mgmt.
  3. Digite root no campo de nome de usuário.
  4. Digite VMware1! no campo Password.
  5. Clique no botão Login.

 

 

Resumo: monitorar a integridade, a utilização de recursos e o uso do banco de dados do vCenter Server Appliance

Depois de fazer login, você verá a página Summary da interface de usuário de gerenciamento do Appliance.

  1. A página de resumo mostra as informações básicas de status de integridade do appliance em Health Status. Os identificadores de integridade no appliance são baseados na capacidade alcançada em termos de CPU, memória e banco de dados. O identificador de integridade geral também mudará para amarelo ou laranja se uma atualização do appliance estiver disponível, dependendo da gravidade da atualização.
  2. Podemos ver os botões que nos permitem fazer Backup do appliance (consulte a parte sobre backup e restauração neste módulo), criar um pacote de suporte (Create a Support Bundle) e executar as operações de ativação/desativação do appliance (Reboot e Shutdown).
  3. Se houver mensagens relacionadas à integridade, elas aparecerão nesta seção da tela Summary.
  4. Nesta seção, é mostrado o status do Domínio de Single Sign-on do vSphere.

 

 

 

CPU e memória

  1. Clique na guia CPU and Memory no painel de navegação à esquerda. Podemos monitorar as tendências de utilização de CPU e memória do appliance até um trimestre atrás, o que pode ser usado para solucionar problemas do appliance e de uso de recursos do vCenter Server.
  2. Selecione a seta no menu suspenso do gráfico Overall CPU Utilization Trending e selecione 1 quarter.
  3. Selecione a seta no menu suspenso do gráfico Overall Memory Utilization Trending e selecione 1 quarter.

Observação: o gráfico poderá ter uma aparência diferente dependendo da utilização.

 

 

Banco de dados

 

  1. Clique na guia Database no painel de navegação.
  2. A interface de usuário de gerenciamento do Appliance fornece um dashboard que mostra o uso do banco de dados Postgres integrado ao vCenter Server Appliance por tipo de dados, bem como a tendência de utilização de espaço com opções para ver qualquer um ou todos os maiores tipos de dados (Statistics, Events, Alarms e Tasks, conhecidos como dados SEAT). Também seremos alertados no vSphere Web Client quando certos limites de capacidade forem atingidos.
  3. Passe o mouse sobre os gráficos de linha de tendência de utilização de espaço atual para ver os detalhes da porcentagem de utilização do banco de dados Postgres do vCenter por tipo de dados.

Observação: o gráfico poderá ter uma aparência diferente dependendo da utilização.

 

 

Rede

  1. Clique na guia Networking no painel de navegação à esquerda.
  2. Selecione a guia Monitor para ver a utilização de rede.
  3. Clique na seta do menu suspenso e escolha 1 quarter para poder ver a utilização de rede no trimestre.

Observação: o gráfico poderá ter uma aparência diferente dependendo da utilização.

 

 

Configuração de syslog

 

O vCenter Server Appliance oferece uma maneira de enviar os logs para um local externo. A VMware recomenda o uso da solução vRealize Log Insight da VMware, que coleta dados de log não estruturados e os organiza em dados de log facilmente pesquisáveis. Pense na solução como um mecanismo de pesquisa semelhante ao Google para dados de log não estruturados.

  1. Clique na seção Syslog Configuration no painel de navegação à esquerda.
  2. Como podemos ver, o vCenter Server Appliance já está configurado para enviar TODOS (*) os seus dados de log para log-01a.corp.local, que é um appliance virtual do vRealize Log Insight. A conexão padrão usa a porta 514 e o protocolo UDP.
  3. Selecione o botão Edit para ver todas as diferentes opções para Common Log Levels (todos (*), informações, aviso, erro etc.), Remote Syslog Port e Remote Syslog Protocol (TCP, UDP, TLS e RELP).

 

 

Syslog Configuration: editar configurações

 

  1. Como não precisamos fazer nenhuma alteração neste momento, clique no botão Cancel.

 

 

Access

A seção Access permite ativar ou desativar as opções SSH Login e Bash Shell.

  1. Clique na seção Access no painel de navegação à esquerda.

 

 

Time

A seção Time permite definir o fuso horário apropriado e apontar para um servidor de horário interno ou externo. Ela também permite que você saiba se o NTP Daemon está funcionando ou não.

  1. Clique na seção Time no painel de navegação à esquerda.

 

 

Update

A seção Update permite definir as opções de atualização para verificar e fazer download das atualizações do vCenter Server Appliance de forma manual ou automática. Ela informa qual é a versão atualmente instalada, bem como se uma nova versão está disponível e as informações associadas.

  1. Clique na seção Update no painel de navegação à esquerda.

 

 

Administration

A seção Administration é onde você pode alterar a senha "root" do vCenter Server Appliance. Você também pode definir as configurações de expiração de senha associadas, por exemplo, se ela expira, o número de dias de validade e uma notificação por e-mail de senhas prestes a expirar.

  1. Clique na seção Administration no painel de navegação à esquerda.

 

 

Visão geral do gerenciamento do vCenter Appliance: conclusão

Concluímos a visão geral das opções de gerenciamento do vCenter Server Appliance na nova interface HTML5. Esperamos que a visão geral tenha sido útil e faça o administrador se sentir confortável ao gerenciar o appliance.

 

vCenter Server Appliance: Alta Disponibilidade (HA)


O vCenter Server Appliance está no centro de um ambiente vSphere e oferece serviços para o gerenciamento de vários componentes de uma infraestrutura virtual, como hosts ESXi, máquinas virtuais, recursos de armazenamento e rede. Como as grandes infraestruturas virtuais são desenvolvidas com o vSphere, o vCenter Server se torna um elemento essencial para garantir a continuidade de negócios de uma organização. É altamente recomendado que o vCenter Server seja protegido contra potenciais falhas de hardware e/ou software e que, ao mesmo tempo, tenha uma recuperação transparente de tais falhas. O vCenter Server Appliance versão 6.5 oferece uma solução de alta disponibilidade totalmente nova, conhecida como vCenter Server High Availability ou VCHA. O VCHA é um recurso disponível APENAS no vCenter Server Appliance, não estando disponível para a versão do vCenter Server baseada no Windows.

O vCenter Server High Availability (VCHA) protege o vCenter Server Appliance contra falhas de host e hardware. A arquitetura ativa-passiva da solução também pode ajudar a reduzir significativamente o tempo de inatividade na aplicação de patches no vCenter Server Appliance.

O vCenter High Availability é um cluster de três nós que contém um nó ativo, um nó passivo e um nó de testemunha, muito semelhante a qualquer outra tecnologia de agrupação em clusters. Dois caminhos de configuração diferentes estão disponíveis, chamados Basic e Advanced. O que você seleciona depende de sua configuração existente, mas tanto Basic quanto Advanced resultarão exatamente nos mesmos recursos. Em outras palavras, use o Basic sempre que possível. Se o vCenter Server que está sendo ativado para o vCenter High Availability estiver sendo gerenciado por um vCenter Server diferente em um domínio de logon único (SSO, Single Sign On) separado ou se os nós ativo, passivo e testemunha forem gerenciados por vCenter Servers diferentes, será necessário o workflow Advanced.


 

Visão geral da arquitetura

Um cluster do vCenter Server High Availability consiste em três instâncias do vCenter Server Appliance.

Juntos, os três nós oferecem uma solução de failover ativo-passivo para o vCenter Server Appliance.

Como uma prática recomendada, sugerimos que você implante cada um dos nós em uma instância ESXi diferente para se proteger contra falhas de hardware. Adicionar os três hosts ESXi a um cluster Distributed Resource Scheduler (DRS) pode proteger ainda mais o seu ambiente. Se o uso do fluxo de trabalho Basic ativar o vCenter High Availability, o fluxo de trabalho automaticamente colocará os nós em hosts diferentes e criará regras antiafinidade para ele se o DRS já estiver ativado. Se o fluxo de trabalho Advanced estiver sendo usado, o posicionamento de nós será manual e será necessário criar as regras antiafinidade do DRS manualmente.

Quando a configuração do vCenter Server High Availability estiver concluída, somente o nó ativo terá uma interface de gerenciamento ativa (IP público). Os três nós se comunicam por uma rede privada chamada rede do vCenter HA, que é automaticamente definida como parte da configuração. O nó ativo e os nós passivos estão continuamente replicando dados entre eles.

OBSERVAÇÃO: a captura de tela presume que você esteja usando Platform Services Controllers integrados e não externos. Como eles estão integrados ao vCenter Server Appliance, quando os appliances são configurados em alta disponibilidade, os Platform Services Controllers também são.

 

 

Funções para cada tipo de nó em um cluster do vCenter High Availability

Nó ativo:

Nó passivo:

Nó de testemunha:

 

 

Funcionamento do vCenter Server High Availability

A disponibilidade do vCenter Server Appliance funciona desta forma nas seguintes condições de falha:

  1. Falha do nó ativo: desde que o nó passivo e o nó de testemunha consigam se comunicar, o nó passivo será promovido a ativo e começará a atender às solicitações dos clientes.
  2. Falha do nó passivo: desde que o nó ativo e o nó de testemunha consigam se comunicar, o nó ativo continuará a funcionar como ativo e continuará a atender às solicitações dos clientes.
  3. Falha do nó testemunha: desde que o nó ativo e o nó passivo possam comunicar entre si, o nó ativo continuará a funcionar como ativo e continuará a atender às solicitações dos clientes. O nó passivo continuará a observar o nó ativo para fins de failover.
  4. Mais de um nó falha ou é isolado: isso significa que os três nós – ativo, passivo e testemunha – não podem se comunicar. Isso corresponde a mais de um ponto único de falha e, quando acontece, o cluster é considerado não funcional e o aplicativo vCenter Server é desligado para se proteger contra corrupção de dados.
  5. Comportamento de nó isolado: quando um único nó fica isolado do cluster, ele é automaticamente removido do cluster e todos os serviços são interrompidos. Por exemplo, se um nó ativo ficar isolado, todos os serviços serão interrompidos para garantir que o nó passivo possa assumir o controle, desde que ele esteja conectado ao nó de testemunha. A detecção de nó isolado leva em consideração as falhas de rede intermitentes e é resolvida como um estado isolado somente após todas as tentativas de repetição terem sido esgotadas.

Observação: o tempo de retorno à operação (RTO, Return To Operation) de um failover é aproximadamente 5 minutos na maioria dos casos, mas poderá variar dependendo de várias circunstâncias como: o tamanho do ambiente, o tamanho do banco de dados, entre outros fatores.

 

 

Visão geral do vCenter Server Appliance High Availability: conclusão

Concluímos a visão geral do vCenter Server Appliance 6.5 High Availability. Após essa análise, esperamos ter enfatizado a importância do uso do vCenter Server Appliance em detrimento ao vCenter Server baseado no Windows. A utilização do VCSA agora é uma prática recomendada pela VMware, principalmente devido aos recursos intrínsecos de alta disponibilidade.

 

vCenter Server Appliance: Platform Services Controller High Availability (PSC HA)


O vCenter Server Appliance 6.5 apresenta uma opção nativa para proteger uma implantação do vCenter Server contra falhas em hardware, hosts e serviços do vCenter Appliance.  

Os Platform Services Controllers (PSC) também oferecerão suporte nativo para alta disponibilidade, mas exigem um balanceador de carga externo durante a configuração de Platform Services Controllers externos para alta disponibilidade. Neste laboratório, oferecemos uma simulação interativa (iSIM, Interactive Simulation) sobre a configuração da alta disponibilidade para o vCenter Server Appliance. Além disso, a configuração dos Platform Services Controllers para alta disponibilidade é uma tarefa avançada, então fornecemos apenas algumas informações básicas de arquitetura sobre essa configuração.


 

Platform Services Controller High Availability (PSC HA)

Teremos agora algumas páginas com uma simulação interativa (iSIM, Interactive Simulation) sobre a configuração do vCenter Server High Availaibility, que contém a versão anterior do vSphere Web Client. Portanto, lembre-se de que, na simulação, depois de clicar no vCenter Server, nós clicamos na guia Manage em vez da guia Configuration da nova versão. Haverá algumas diferenças no nome e no conteúdo das páginas, que terão uma aparência diferente entre a versão antiga e a mais recente do vSphere Web Client. Mas o processo de configuração é basicamente o mesmo.

 

Também estamos oferecendo o Platform Services Controller High Availability (PSC HA), o que significa que você precisará usar um balanceador de carga de terceiros para obter alta disponibilidade para sua infraestrutura de Platform Services Controller (PSC).  

O PSC funcionará mais como o DNS, onde cada vCenter saberá onde todos os Platform Services Controllers estão em seu domínio. No caso de falha de qualquer serviço dos Platform Services Controllers, o vCenter fará automaticamente o failover para o próximo Platform Services Controller. O diagrama acima mostra como isso funciona. As setas grandes são onde o vCenter tem afinidade (onde ele foi instalado). Se um Platform Services Controller falhar, o vCenter poderá fazer failover por uma das linhas pontilhadas para outro Platform Services Controller.

O modo de alta disponibilidade é obtido quando os vCenters e os Platform Services Controllers estão todos no mesmo nível funcional (tudo está no mesmo nível do build principal). Você poderá operar no modo misto, mas o PSC HA não estará operacional.

Para obter informações mais detalhadas sobre como configurar a alta disponibilidade para os Platform Services Controllers combinados ao vCenter Server Appliance 6.5, consulte este artigo da VMware Knowledge Base aqui.

OBSERVAÇÃO: os links no manual do laboratório são apenas para referência, e os ambientes de Hands-on Lab NÃO PODERÃO ser conectados à Internet. Portanto, não podemos acessá-los na maioria dos casos, mas podemos salvar o link tomando nota do endereço da Web ou tirando uma foto com a câmera de um celular.

 

 

vSphere Web Client (versão mais recente)

OBSERVAÇÃO: nesta lição, estamos apenas fazendo referência às capturas de tela e não realmente analisando e manipulando nada no ambiente de laboratório em que você está trabalhando no momento.

Dependendo de qual versão do vSphere Web Client estiver analisando, você verá algumas pequenas diferenças, como nomes de guias e botões no painel de conteúdo principal. Nesta lição em particular, em que estamos discutindo a configuração da alta disponibilidade para o vCenter Server, temos:

  1. Vemos que o nome da guia para acesso à seção de configuração do vCenter Server High Availability é Configure (na nova versão, o nome da guia é Manage)
  2. Depois de clicar em vCenter HA, clicamos no botão Configure (no cliente antigo, o botão se chama New Configuration)

 

 

vSphere Web Client (versão anterior)

 

Na simulação interativa (iSIM, Interactive Simulation) que assistiremos em breve, temos uma versão do vSphere Web Client anterior à que está atualmente no ambiente de laboratório:

  1. Na simulação, precisamos clicar no vCenter Server e depois na guia Manage (no cliente novo, a guia se chama Configure)
  2. Em seguida, selecionamos vCenter HA e clicamos no botão New Configuration para começar a configurar a alta disponibilidade (no cliente novo, o botão se chama Configure)

 

 

Hands-on Labs - simulação interativa (iSIM): vCenter Server High Availability

Iniciaremos agora a simulação interativa (iSIM, Interactive Simulation). Esta simulação o guiará pela configuração do vCenter Server High Availability. Ao terminar a simulação interativa (iSIM), retorne a esta página do manual do laboratório para continuar com este módulo.

Simulação interativa (iSIM): vCenter Server High Availability - CLIQUE AQUI PARA INICIAR A SIMULAÇÃO INTERATIVA (iSIM)

OBSERVAÇÃO: o vídeo atual foi gravado com a versão anterior do vSphere Web Client. Portanto, você verá que alguns nomes de guias e telas são um pouco diferentes da versão mais atual do vSphere Web Client. Além disso, na simulação interativa (iSIM), onde for necessário digitar algo em um campo de texto, este será inserido corretamente para você, independentemente do que você tentar digitar nos campos de texto.

 

 

Visão geral do vCenter Server Appliance e do Platform Services Controller High Availability: conclusão

Embora esta tenha sido uma breve visão geral da arquitetura associada à configuração de Platform Services Controllers externos em alta disponibilidade, esperamos que as opções da arquitetura do vCenter Server façam mais sentido agora e esclareçam suas dúvidas sobre por que e como projetar um ambiente do vSphere com base em suas necessidades individuais.

 

vCenter Server Appliance: backup


No vSphere 6.5, o vCenter Server Appliance (VCSA) tem uma solução de backup e restauração baseada em arquivo pronta para uso. Você pode fazer backup em uma única pasta de todos os principais dados de configuração, inventário e histórico do vCenter Server. Todos esses dados são transmitidos por FTP (ou SFTP/FTPS) ou HTTP/HTTPS. Quando for o momento de restaurar um backup anterior, você poderá implantar um appliance novo, indicar o local da pasta dos arquivos de backup do vCenter Server e restaurar todos os dados de configuração e inventário do vCenter Server (com dados de histórico opcionais) do backup.

Nesta lição, passaremos pelas etapas que mostram como criar um backup do vCenter Server Appliance (VCSA) e verificar o backup. Por razões de tempo e recursos do ambiente de Hands-on Lab, faremos outra simulação interativa (iSIM) para a próxima lição a fim de mostrar as etapas associadas ao processo de restauração.


 

Iniciar o Google Chrome

 

Se o Google Chrome ainda não estiver aberto, você poderá:

  1. Clicar duas vezes no ícone do Google Chrome no desktop do console principal.
  2. Ou clicar uma vez no ícone do Google Chrome na barra de Início Rápido.

OBSERVAÇÃO: se o Google Chrome já estiver aberto, continue na próxima etapa.

 

 

Fazer login no console de gerenciamento do vCenter Appliance

Faremos o backup de arquivos de configuração, inventário e dados de histórico selecionados do vCenter Server Appliance (VCSA) em uma pasta de arquivos localizada em um servidor FTP.



Se você ainda estiver conectado ao vCenter Server Appliance da lição anterior, poderá ignorar as etapas abaixo. Caso contrário, faça login na interface de usuário de gerenciamento do Appliance para iniciar o processo de backup do vCenter Server.

  1. Clique em HOL Admin na barra de favoritos.
  2. Clique no atalho vcsa-01a Mgmt no menu suspenso.
  3. Digite root para o nome de usuário.
  4. Digite VMware1! para a senha.
  5. Clique no botão Login.

 

 

Fazer backup do vCenter Server Appliance (vCSA) usando o assistente Backup Appliance

 

O backup do vCenter Server Appliance (VCSA) começa na página de resumo da interface de usuário de gerenciamento do Appliance (https://vCenter-FQDN-IP:5480).


Para iniciar o processo de backup do appliance:

  1. Clique na guia Summary no painel de navegação à esquerda, caso ainda não esteja nela.
  2. Clique no botão Backup no canto superior direito da interface de usuário de gerenciamento do Appliance.

 

 

Assistente Backup Appliance: inserir detalhes do backup

 

O primeiro conjunto de informações que você precisará inserir é o protocolo de backup (FTP, FTPS, SFTP, HTTP, HTTPS), o local ou caminho de backup e um nome de usuário/senha para acesso a esse local de backup. Você também tem a opção de criptografar seus dados antes que qualquer um deles seja transferido para o local de backup. Basta marcar a caixa Encrypt Backup Data. Observe que a senha definida aqui seria necessária durante o processo de restauração para acessar o backup do vCenter Server Appliance. Para este laboratório, não criptografaremos o backup.

Você precisará acessar o servidor FTP para colocar seus arquivos de backup do vCenter Server. É possível criar uma nova pasta no caminho de FTP adicionando o nome do caminho após o endereço IP do servidor FTP. Se você criar uma pasta para os backups em um servidor, certifique-se de que o nome da pasta seja o mesmo ao preencher o caminho do local no assistente de backup.

  1. Clique no menu suspenso Protocol e selecione FTP.  O menu suspenso mostra a você todos os protocolos possíveis, como HTTPS, HTTP, SCP, FTPS e FTP.
  2. No campo Backup Location, digite 192.168.110.60/vcsa01a-backup.
  3. Mantenha o valor padrão de Port 21.
  4. No campo Username, digite root.
  5. No campo Password, digite VMware1!.
  6. Clique no botão Next para continuar.

Observação: o caminho na interface de usuário de backup deverá ser inserido sem "ftp://", para que o local de backup comece com o próprio endereço IP do servidor FTP. Você também perceberá que pode criptografar o backup, e será avisado quando estiver usando os protocolos FTP/HTTP não seguros. Este é um laboratório isolado, então não é necessário usar um protocolo seguro.

 

 

Assistente Backup Appliance: selecionar partes para o backup

Em seguida, você selecionará se deseja fazer backup de dados de Stats, Events, Alarms, and Tasks (SEAT) opcionais do banco de dados do vCenter Server. Um conjunto principal de dados (inventário do VC, serviços e sistema operacional) serão incluídos no backup por padrão. Se selecionarmos fazer backup de todos os tipos de dados, o tamanho do arquivo de backup será maior do que se escolhermos seletivamente fazer backup apenas dos dados de inventário do VC, por exemplo.

  1. Deixe a caixa Stats, Events, Alarms, and Tasks marcada para incluir esses dados no backup.
  2. Digite vCenter Backup Primary DC no campo Description para ajudar a identificar o backup.
  3. Clique no botão Next para continuar.

OBSERVAÇÃO: o tamanho desse backup será diferente do que mostra a captura de tela.

 

 

Assistente Backup Appliance: pronto para conclusão

 

A terceira e última etapa fornece um resumo do backup que oferece a você uma confirmação sobre protocolo, localização, credenciais, criptografia e dados opcionais do seu backup.

  1. Confirme se as seleções estão corretas.
  2. Inicie o backup clicando no botão Finish.

 

 

Assistente Backup Appliance: janela de andamento

 

Será exibida uma janela pop-up com o status do backup.

  1. Verifique se o backup informa Backup job finished successfully e reflete 100%.
  2. Após a conclusão, clique no botão OK para fechar a janela Backup Progress.

OBSERVAÇÃO: o processo de backup deverá levar menos de dois minutos, mas poderá ser mais demorado devido a vários fatores.

 

 

Abrir nova guia

 

  1. Clique no botão New tab ao lado da guia vSphere Web Client que já está aberta no Google Chrome.

 

 

Conectar-se ao servidor FTP

 

  1. Clique na nova guia do navegador Google Chrome.
  2. Digite ftp://192.168.110.60 no campo de texto de endereço.

 

 

Autenticar-se no servidor FTP

 

  1. No pop-up Authentication Required exibido, digite root no campo User Name:.
  2. Digite VMware1! no campo Password:.
  3. Clique no botão Log In.

 

 

Verificar se a pasta vcsa01a-backup existe

 

  1. Verifique se a pasta vcsa01a-backup existe e clique no link vcsa01a-backup.

OBSERVAÇÃO: as datas associadas aos arquivos de backup na captura de tela não serão as mesmas que as suas. Quando um backup for concluído durante o laboratório, ele deverá refletir a data em que você concluiu o trabalho de backup.

 

 

Examinar os arquivos de vcsa01a-backup

 

  1. Agora podemos ver o conteúdo da pasta vcsa01a-backup do backup que acabamos de realizar.

OBSERVAÇÃO: as datas associadas aos arquivos de backup na captura de tela não serão as mesmas que as suas. Quando um backup for concluído durante o laboratório, ele deverá refletir a data em que você concluiu o trabalho de backup.

 

 

Fechar a guia do servidor FTP

 

Neste momento, terminamos de verificar o trabalho de backup do appliance vcsa-01a.corp.local e podemos fechar as guias do servidor FTP e do vCenter Server Appliance no Google Chrome.

  1. Clique no "X" da guia do servidor FTP no Google Chrome para fechá-la.
  2. Clique no "X" da guia do vCenter Server Appliance no Google Chrome para fechá-la.

 

 

O que é realmente incluído no backup (biblioteca de conteúdo)

Para esclarecer ainda mais o backup do vCenter Server Appliance, vamos analisar uma biblioteca de conteúdo existente que reside no vCenter Server Appliance. A biblioteca de conteúdo armazena os respectivos metadados (a descrição da biblioteca) no banco de dados Postgres integrado ao vCenter Server e tem seus serviços em execução em um vCenter Server. Ela armazena seu conteúdo (OVF, VMDK, ISO etc.) em um banco de dados fora do vCenter Server Appliance. Isso significa que o backup do vCenter Server Appliance captura apenas os metadados da biblioteca.

 

 

vCenter Server Appliance: conclusão da visão geral do backup

Concluímos esta visão geral sobre como usar o novo recurso de backup que é nativo apenas no vCenter Server Appliance. O backup de um vCenter Server é uma parte essencial do trabalho dos administradores para garantir que haja um backup válido em caso de falha do vCenter Server ou possível corrupção de dados no banco de dados. Agora os administradores podem ficar tranquilos sabendo que têm um mecanismo nativo para oferecer bons backups de suas máquinas virtuais mais importantes no ambiente do vSphere.

 

vCenter Server Appliance: restauração (simulação interativa (iSIM))


Esta é uma simulação interativa (iSIM) de Hands-on Labs.

Uma simulação interativa (iSIM, Interactive Simulation) apresenta conteúdo que é muito demorado ou muito complexo para ser incluído em uma experiência de Hands-on Labs tradicional. A interface de usuário não é conectada a um sistema de software ativo, mas, em vez disso, cria uma interface de usuário que simula o comportamento de um ambiente ativo. Nós vamos seguir as instruções e clicar nos elementos da interface de forma semelhante a um laboratório tradicional.

As caixas laranja fornecem diretrizes para cada clique e ação que levará você à próxima etapa. Também é possível usar as teclas de seta para a esquerda e para a direita para navegar pela simulação para a frente e para trás.

O processo de restauração do vCenter Server Appliance consiste em dois estágios:

Siga as etapas abaixo para concluir os processos de restauração do vCenter Server Appliance usando a simulação interativa (iSIM).

  1. CLIQUE AQUI PARA INICIAR A SIMULAÇÃO INTERATIVA (iSIM) (ela será aberta em uma nova janela ou guia do navegador)
  2. Quando terminar a simulação, clique no link Return to the lab ou feche as janelas para continuar o laboratório.

OBSERVAÇÃO: fornecemos TAMBÉM as etapas guiadas individuais que executaremos na simulação interativa (iSIM) para sua referência. Essas etapas NÃO FORAM elaboradas para serem executadas no ambiente de Hands-on Lab! Se apenas assistir à simulação interativa (iSIM) for suficiente para você, fique à vontade para pular para a próxima lição.


 

Iniciar o instalador do vCenter Server Appliance

 

LEMBRETE: as etapas restantes a seguir são APENAS PARA REFERÊNCIA e NÃO para serem executadas por você no ambiente de Hands-on Lab. Se apenas assistir à simulação interativa (iSIM) for suficiente para você, fique à vontade para pular para a próxima lição.

  1. Clique em installer.exe para abrir o instalador do vCenter Server Appliance.
  2. Clique no botão Restore.

 

 

Estágio 1. Implantação do OVF: introdução

  1. Examine os diferentes estágios de restauração do vCenter Server Appliance e clique no botão Next.

 

 

Estágio 1. Implantação do OVF: aceitar o EULA

  1. Analise e aceite os termos do contrato de licença.
  2. Clique no botão Next.

 

 

Estágio 1. Implantação do OVF: inserir detalhes do backup

Aqui é fornecido o local dos arquivos de backup criados como parte da lição anterior, Backup do vCenter Server Appliance.

  1. Tipo de local de backup: FTP.
  2. Forneça o local de backup: 192.168.110.60/vcsa01a-backup.
  3. A porta deve ser 21.
  4. O nome de usuário é root.
  5. A senha é VMware1!.
  6. A criptografia deve ficar em branco.
  7. Clique no botão Next.

 

 

Estágio 1. Implantação do OVF: revisar as informações do backup

  1. Revise as informações do backup e clique no botão Next.

 

 

Estágio 1. Implantação do OVF: conectar-se ao destino

  1. Forneça o servidor ou o nome do host de destino esx-01a.corp.local.
  2. A porta HTTPS padrão é 443.
  3. O nome de usuário é root.
  4. A senha é VMware1!.
  5. Clique no botão Next e no botão Yes do Certificate Warning.

 

 

Estágio 1. Implantação do OVF: configurar a VM do appliance de destino

Aqui fornecemos um nome para a máquina virtual do appliance. Esse nome será exibido no vSphere. A identidade do appliance será restaurada para o nome de host do vCenter Server Appliance armazenado em backup quando a restauração estiver concluída.

  1. A máquina virtual do appliance de destino deve ser vcsa01a-backup.
  2. A senha raiz é VMware1!.
  3. Confirme se a senha está correta.
  4. Clique no botão Next.

 

 

Estágio 1. Implantação do OVF: selecionar o tamanho da implantação

Para a finalidade deste laboratório, optamos por usar a menor área de cobertura possível para o vCenter Server Appliance recuperado.

  1. Vamos selecionar o tamanho de implantação Tiny vCenter Server e clicar no botão Next.

 

 

Estágio 1. Implantação do OVF: selecionar o datastore

Esta simulação contém apenas um datastore. Em ambientes típicos, haveria vários datastores disponíveis.

  1. O datastore RegionA01-ISCSI01-COMP01 já está selecionado.
  2. Selecione Enable Thin Disk Mode.
  3. Clique no botão Next.

 

 

Estágio 1. Implantação do OVF: definir as configurações de rede

Como nosso vCenter Server Appliance de origem tinha um IP estático configurado, queremos que o mesmo IP seja usado durante o processo de restauração. Instalações típicas do vCenter Server Appliance terão um IP estático atribuído.

  1. Clique em DHCP e altere-o para static (as configurações de IP originais do backup serão preenchidas automaticamente).
  2. Clique no botão Next.

 

 

Estágio 1. Implantação do OVF: revisar as configurações

  1. Verifique se as configurações estão corretas e clique no botão Finish para concluir a implantação do vCenter Server Appliance.

 

 

Estágio 1. Implantação do OVF

Este processo foi acelerado como parte da simulação. Em um ambiente típico, ele levaria vários minutos para ser concluído.

  1. Clique no botão Continue quando a implantação estiver concluída.

OBSERVAÇÃO: é altamente recomendável tirar um snapshot da máquina virtual antes de passar para a etapa 2 do processo de implantação. Assim, se a etapa 2 falhar, você poderá fazer a recuperação com rapidez e facilidade usando o snapshot, em vez de reimplantar o VCSA desde o início.

 

 

Estágio 2. Transferência de dados: introdução

O estágio 2 envolve a configuração do vCenter Server Appliance recém-implantado usando os arquivos de backup do servidor FTP fornecido anteriormente.

  1. Clique no botão Next para iniciar o "Estágio 2" do processo de restauração

 

 

Estágio 2. Transferência de dados: pronto para concluir

  1. Examine as informações em "Backup details" e clique no botão Finish para iniciar a transferência de dados.
  2. Clique no botão OK para continuar.

 

 

Estágio 2. Transferência de dados: restauração concluída

Este processo foi acelerado como parte da simulação. Em um ambiente típico, ele levaria vários minutos para ser concluído.

  1. Clique no "X" no canto superior direito para fechar a janela quando a restauração estiver concluída.

 

 

Verificar se o vCenter Server Appliance está pronto

  1. Clique em Google Chrome para abrir o navegador para confirmar se a tela de login do vCenter Server Appliance está ativa.
  2. Para concluir a simulação interativa, clique no link "Return to the lab" ou feche as janelas para continuar o laboratório.

 

 

vCenter Server Appliance: restauração (simulação interativa): conclusão

Concluímos com sucesso esta lição que mostrou as etapas apropriadas para restaurar um vCenter Server Appliance usando a nova função de restauração nativa. Isso representa a segunda metade da restauração de um trabalho de backup para garantir um backup rápido e válido de um vCenter Server Appliance. O objetivo é assegurar que um ambiente do vSphere possa ser efetivamente armazenado em backup e restaurado de forma rápida e eficiente com esforço administrativo mínimo.

 

vCenter Server Appliance: integração com o vSphere Update Manager (visão geral)


O vSphere Update Manager agora está integrado ao vCenter Server Appliance. Quando você implanta o vCenter Server Appliance, o serviço VMware vSphere Update Manager Extension é iniciado automaticamente. Não podemos mais nos conectar a uma instância do vSphere Update Manager instalado em um Windows Server com o vCenter Server Appliance. As tentativas de conectar o vSphere Update Manager a um vCenter Server Appliance durante a instalação em um sistema operacional Windows resultarão em erro.

O vSphere Update Manager implantado com o vCenter Server Appliance usa um banco de dados PostgreSQL. Embora o vSphere Update Manager e o vCenter Server Appliance compartilhem a mesma instância do banco de dados PostgreSQL, eles usam bancos de dados PostgreSQL separados executados no vCenter Server Appliance. Podemos então redefinir/restaurar o banco de dados do vSphere Update Manager separadamente do banco de dados do vCenter Server Appliance, assim não há interrupção nos dados do appliance.

O vSphere Update Manager possibilita o gerenciamento centralizado e automatizado de patches e versões para o vSphere e oferece suporte para hosts ESXi, máquinas virtuais e appliances virtuais (as operações de upgrade e patch de appliances virtuais serão descontinuadas em uma futura versão.

Com o vSphere Update Manager, podemos executar as seguintes tarefas:

vSphere Update Manager Web Client

OBSERVAÇÃO: os links no manual do laboratório são apenas para referência, e os ambientes de Hands-on Lab podem NÃO estar conectados à Internet. Portanto, não poderão acessá-los na maioria dos casos, mas podem salvar o link tomando nota do endereço da Web ou tirando uma foto com a câmera de um celular.


 

O que há de novo no vSphere Update Manager 6.5

 

 

vSphere Update Manager Web Client

O componente cliente do vSphere Update Manager é um plug-in para o vSphere Web Client. O componente cliente do vSphere Update Manager oferece o conjunto completo de recursos necessários para o gerenciamento de patches e versões para um inventário do vSphere.

O plug-in do vSphere Update Manager para o vSphere Web Client não requer instalação. Após o serviço vSphere Update Manager ser iniciado no vCenter Server Appliance, o componente cliente do vSphere Update Manager é automaticamente ativado no vSphere Web Client. Um ícone do vSphere Update Manager é exibido na tela inicial, e o vSphere Update Manager aparece entre as guias de alto nível no vSphere Web Client.

É possível acessar a visualização Administration do vSphere Update Manager na tela inicial do vSphere Web Client. Acesse a visualização Compliance do vSphere Update Manager selecionando um objeto no inventário do vSphere e navegando até a guia Update Manager.

 

 

vSphere Update Manager Download Service

O vSphere Update Manager Download Service (UMDS) é um módulo opcional do Update Manager que você pode usar para fazer download de definições de patch em um sistema que é separado do servidor do vSphere Update Manager. Use o vSphere Update Manager Download Service (UMDS) caso seu sistema de implantação do vSphere Update Manager seja protegido e a máquina em que o servidor do vSphere Update Manager está instalado não tenha acesso à Internet.

Você tem duas opções de instalação do vSphere Update Manager Download Service (UMDS). É possível instalar o vSphere Update Manager Download Service (UMDS) em um sistema operacional Windows de 64 bits. Você não deve instalar o vSphere Update Manager Download Service (UMDS) na mesma máquina Windows em que o servidor do Update Manager está instalado. Também é possível instalar o UMDS em um sistema baseado em Linux. Na versão vSphere 6.5, um instalador do Update Manager Download Service (UMDS) 6.5 é fornecido com o arquivo ISO do vCenter Server Appliance. Como pré-requisito para instalar o vSphere Update Manager Download Service (UMDS) no Linux, é necessário ter um servidor Linux com um banco de dados PostgreSQL pré-configurado e um DSN de 64 bits. Monte o arquivo ISO do vCenter Server Appliance na máquina Linux e, em seguida, instale e configure o vSphere Update Manager Download Service (UMDS) 6.5.

OBSERVAÇÃO: para usar o vSphere Update Manager Download Service (UMDS), o serviço de download deve ser de uma versão compatível com o servidor do Update Manager. Para obter mais informações sobre a compatibilidade entre o vSphere Update Manager e o UMDS, consulte a documentação Instalação e administração do VMware vSphere Update Manager.

 

 

vSphere Update Manager Utility

O vSphere Update Manager Utility permite que você altere a autenticação de proxy e a senha do banco de dados, registre novamente o vSphere Update Manager no vCenter Server e substitua os certificados SSL do Update Manager. Para obter mais informações sobre a reconfiguração do vSphere Update Manager usando o utilitário, consulte a documentação Reconfiguração do VMware vSphere Update Manager.

Quando você instala o vSphere Update Manager ou o vSphere Update Manager Download Service (UMDS), o vSphere Update Manager Utility é instalado de forma silenciosa em seu sistema como um componente adicional.

 

 

Opções de migração

A VMware fornece caminhos com suporte para a migração do vSphere Update Manager de um sistema operacional Windows para ser executado no vCenter Server Appliance.

É possível migrar o vSphere Update Manager para o vCenter Server Appliance nos seguintes modelos de implantação do vCenter Server:

OBSERVAÇÃO: para obter informações detalhadas sobre como executar a migração, consulte Instalação e administração do VMware vSphere Update Manager e a documentação de Upgrade do vSphere.

 

 

vCenter Server Appliance: integração com o vSphere Update Manager (visão geral): conclusão

Isso conclui a seção vCenter Server Appliance: integração com o vSphere Update Manager (visão geral). O processo de usar o vSphere Update Manager não mudou de fato, somente que agora está integrado ao vCenter Server Appliance, não sendo necessário ter outra máquina virtual contendo o sistema operacional Windows Server e o banco de dados. Isso economiza dinheiro por não haver necessidade de licenciar outro sistema operacional e banco de dados, além de reduzir a carga de trabalho associada ao gerenciamento de um ambiente vSphere. Além disso, quando o vCenter Server Appliance é armazenado em backup, sabemos que o banco de dados do vSphere Update Manager também é.

 

vCenter Server Appliance: integração com o vSphere Update Manager (vídeo)


Devido ao tempo que seria necessário para executar as ações de atualização de hosts, máquinas virtuais ou appliances virtuais no ambiente de Hands-on Lab, não executaremos as etapas reais no laboratório. Em vez disso, assista a este pequeno vídeo (4min14s), que proporciona uma breve visão geral das etapas envolvidas na execução de atualizações com o vSphere Update Manager recém-integrado ao vCenter Server Appliance.


 

Vídeo: Demonstração do vSphere Update Manager integrado ao VMware vSphere 6.5 (4min14s)

OBSERVAÇÃO: clique no botão de reprodução no Workstation Player do vídeo para assistir a um vídeo de visão geral sobre a nova integração do vSphere Update Manager ao vCenter Server Appliance (vCSA) 6.5.

 

 

vCenter Server Appliance: integração com o vSphere Update Manager (vídeo): conclusão

Isso conclui a seção vCenter Server Appliance: integração com o vSphere Update Manager (vídeo). Novamente, o vSphere Update Manager não mudou realmente em termos de funcionalidade. A principal diferença é o fato de ele agora estar integrado ao vCenter Server Appliance.

Os benefícios da integração do vSphere Update Manager (vSphere Update Manager) ao vCenter Server Appliance (vCSA) são:

 

vCenter Server: Migration Assistant Tool


A VMware oferece diversos caminhos com suporte para a migração e o upgrade de instalações do vCenter Server versões 5.5.x e 6.0.x do Windows para o vCenter Server 6.5 Appliance. Esta seção fornecerá uma breve visão geral desses caminhos de migração e da Migration Assistant Tool for vSphere 6.5. Lembre-se de que há diversas arquiteturas e configurações durante a migração, e as informações a seguir são apenas alguns exemplos dos possíveis caminhos de migração. Os que estão listados são para quem está migrando de versões anteriores (5.5.x, 6.0.x) do vCenter Server baseado em Windows para o vCenter Server Appliance.

OBSERVAÇÃO: se desejar ver uma lista completa das possíveis opções de migração, consulte o Centro de documentação do VMware vSphere 6.5 localizado aqui.

OBSERVAÇÃO ADICIONAL: os links no manual do laboratório são apenas para referência, e os ambientes de Hands-on Lab NÃO PODERÃO ser conectados à Internet. Portanto, não podemos acessá-los na maioria dos casos, mas podemos salvar o link tomando nota do endereço da Web ou tirando uma foto com a câmera de um celular.


 

Caminhos de migração do vSphere com suporte

Instalação do vCenter Server 5.5.x com vCenter Single Sign-On integrado antes e depois da migração.

 

Instalação do vCenter Server 6.0.x com Platform Services Controller integrado antes e depois da migração.

 

É possível migrar uma instância do vCenter Server com um vCenter Single Sign-On (SSO) versão 5.5 ou um Platform Services Controller (PSC) versão 6.0 externo para uma instância do vCenter Server Appliance 6.5 com um appliance Platform Services Controller (PSC) externo. Nesse caso, você deve primeiro migrar a instância externa do vCenter Single Sign-On (SSO) ou do Platform Services Controller (PSC) e, em seguida, a instância do vCenter Server.

Instalação do vCenter Server 5.5.x com vCenter Single Sign-On (SSO) externo antes e depois da migração.

 

Instalação do vCenter Server 6.0.x com Platform Services Controller (PSC) externo antes e depois da migração.

 

Se você tiver vários sistemas configurados para alta disponibilidade, o vCenter Server permitirá que você incorpore seus serviços comuns a uma configuração de Platform Services Controller externo como parte do seu processo de upgrade. Se você tiver uma instalação de vários sites configurada com replicação, poderá usar o vCenter Server para incorporar seus serviços comuns a uma configuração de Platform Services Controller externo como parte do seu processo de upgrade.

Para obter mais informações sobre ambientes transicionais de versão mista, consulte Ordem de upgrade ou migração e comportamento transicional de versão mista para implantações de várias instâncias do vCenter Server.

 

 

Visão geral da migração do vCenter Server no Windows para um appliance

 

O assistente de migração contém as seguintes características:

 

 

Fluxo de trabalho de migração

A VMware oferece muitas opções de upgrade para o vCenter Server 6.5. Você pode migrar ou fazer o upgrade de sua instalação do vCenter Server versão 5.5 ou 6.0 para a versão 6.5 usando o método que melhor atender aos seus requisitos ou objetivos de implantação.

 

Etapas de alto nível para upgrade ou migração do vCenter Server:

  1. Selecione o objetivo do upgrade.
  2. Verifique se o sistema cumpre os requisitos de hardware e software.
  3. Prepare o ambiente para o upgrade ou a migração.
  4. Migre ou faça upgrade da implantação do vCenter Server para Windows ou vCenter Server Appliance.
  5. Conclua qualquer tarefa pós-upgrade ou pós-migração necessária.

 

Não é possível conectar-se a instâncias do vCenter Server com instâncias externas do Platform Services Controller em uma configuração Enhanced Linked Mode.

 

 

Recursos adicionais

OBSERVAÇÃO: os links no manual do laboratório são apenas para referência, e os ambientes de Hands-on Lab NÃO PODERÃO ser conectados à Internet. Portanto, não podemos acessá-los na maioria dos casos, mas podemos salvar o link tomando nota do endereço da Web ou tirando uma foto com a câmera de um celular.

Para obter mais informações sobre a migração do vCenter Server nas versões 5.5.x e 6.0.x para o 6.5, consulte estes recursos:

 

 

vCenter Server: Migration Assistant Tool: conclusão

Isso conclui a visão geral das diversas opções de migração possíveis que agora estão disponíveis na migração de uma versão anterior (5.5.x ou 6.0.x) do vCenter Server para incluir a versão baseada em Windows. A ferramenta de migração torna a migração mais simples do que nunca ao reduzir os problemas associados à migração e o tempo necessário para concluí-la. Essa ferramenta foi muito bem recebida por muitos de nossos clientes.  

 

HTML5 Host Client


O HTML5 Host Client é um novo produto projetado para substituir a funcionalidade de cliente host do cliente C# original (chamado C Sharp). Em geral, o layout da interface de usuário HTML5 é semelhante ao vSphere Web Client para manter a consistência na navegação do fluxo de trabalho administrativo. Mesmo assim, simplificamos áreas em que a funcionalidade do vCenter não é necessária. Entretanto, como esse é o cliente "host", as funções que estão disponíveis na nova interface estão relacionadas a funções relativas à conexão a um host individual. Isso significa que não podemos realizar tarefas administrativas que normalmente estão disponíveis apenas dentro do vCenter.

Nas tarefas a seguir, navegaremos por algumas das principais áreas do novo Host Client para que você se familiarize com a nova interface de usuário baseada em HTML5.


 

Abrir o navegador Google Chrome

 

Se o Google Chrome ainda não estiver aberto, você poderá:

  1. Clicar duas vezes no ícone do Google Chrome no desktop do console principal.
  2. Ou clicar no ícone na barra de Início Rápido.

OBSERVAÇÃO: se o Google Chrome já estiver aberto, continue na próxima etapa.

 

 

Conectar-se à interface de usuário do HTML5 Host

  1. Na barra de favoritos do Google Chrome, clique na pasta HOST-HTML5.
  2. Clique em esx-01a.

 

 

Fazer login no Host HTML5 Client

 

  1. Digite root no campo de texto User name.
  2. Digite VMware1! no campo de texto Password.
  3. Clique no botão Log in.

 

 

Página de confirmação

 

  1. Para a finalidade do laboratório, deixaremos a seleção padrão da caixa Join the VMware Customer Experience Improvement Program.
  2. Clique no botão "OK".

OBSERVAÇÃO: no seu ambiente vSphere, você pode optar por manter essa caixa marcada ou desmarcá-la se não desejar participar do Programa Customer Experience Improvement da VMware.

 

 

Árvore de inventário

 

Você verá os recursos básicos do host exibidos em um formato de árvore na lateral esquerda da interface de usuário listando: Host, Virtual Machines, Storage e Networking.

Por exemplo, o painel de recursos do host descreve informações sobre o tipo de CPU, a configuração da memória e as informações básicas de desempenho. De modo semelhante, clique no tipo de recurso Virtual Machine para exibir uma lista de máquinas virtuais que estão hospedadas nesse host.

 

 

Como gerenciar tipos de recursos

 

Há várias opções de manipulação do host, como criar máquinas virtuais, desligar ou reinicializar o host, além de várias outras que você pode selecionar clicando com o botão direito do mouse no host.

  1. Clique com o botão direito do mouse no Host no painel Navigator.
  2. Ao clicar com o botão direito do mouse no Host, podemos ver a opção de seleção "Manage with vCenter Server". Essa seleção abrirá uma nova guia no navegador e nos levará diretamente ao vSphere Web Client para gerenciar o vCenter Server, tornando rápido e simples acessá-lo a partir do novo HTML5 Host Client.

 

 

Tarefas de solução de problemas

Um dos principais casos de uso do Host Client é para a solução de problemas da infraestrutura virtual, em especial quando o vCenter Server e o vSphere Web Client ficam indisponíveis temporariamente para fazer a correção. Nessas situações, a principal tarefa é examinar os aplicativos essenciais em execução no host, examinar os logs e os eventos associados e, possivelmente, realizar ações no host ou na máquina virtual para colocá-los novamente on-line.

 

 

Minimizar o painel Recent Tasks

 

Para ver mais informações na metade inferior do painel de conteúdo:

  1. Clique no ícone Minimize para minimizar o painel de conteúdo.

 

 

Monitorar

 

  1. Clique em Monitor no painel Navigator.

 

 

Monitoramento do desempenho

 

Monitorar o vCenter Server e seus recursos é uma tarefa importante para a maioria dos administradores do vSphere para garantir que o vCenter Server esteja sendo executado da forma ideal. Se houver problemas com o vCenter Server, isso terá um grande impacto no desempenho do vCenter Server e causará problemas de gerenciamento do ambiente do vSphere. No vSphere Host Client, a guia Performance nos permite ver o desempenho do vCenter, incluindo seus recursos, status do hardware, eventos, tarefas, logs e notificações.

  1. Clique na guia Performance no painel Navigator.
  2. Passe o mouse sobre um dos picos de desempenho no gráfico. Podemos ver as estatísticas enquanto passamos o mouse sobre o local.
  3. Altere alguns dos perímetros no menu suspenso para ver dados de desempenho para Memory, Network e Disk.  

OBSERVAÇÃO: o gráfico e os dados de desempenho no ambiente de laboratório serão diferentes do que mostra a captura de tela.

 

 

Análise de logs do host

 

A análise dos logs do host também é uma parte importante do trabalho de administradores virtuais para procurar as causas de origem de problemas. Os logs podem fornecer informações muito detalhadas relacionadas a problemas, e os logs no vSphere 6.5 são muito mais detalhados do que em qualquer versão anterior do vSphere.

Para analisar os logs do host no novo vSphere Host Client:

  1. Clique em Monitor, localizado abaixo de Host no painel de navegação à esquerda.
  2. Clique na guia Logs na parte superior do painel de conteúdo.
  3. Selecione o log /var/log/vpxa.log para ver as mensagens relacionadas ao daemon vCenter.

OBSERVAÇÃO: como um auxílio da interface de usuário, você pode clicar com o botão direito do mouse em qualquer log e selecionar Open in new window para ver linhas adicionais do log. A pesquisa agora também pode ser feita nessa tela usando os recursos de pesquisa do navegador (por exemplo: Control-F).

 

 

Guia Events

 

  1. Clique na guia Events na parte superior do painel de conteúdo.

 

 

Análise de eventos do host

 

De modo semelhante aos logs, a lista de eventos relacionados ao host também pode ser exibida.

  1. Selecione o ícone de seta para baixo na coluna Event.
  2. Clique em Filter no menu suspenso.
  3. Altere o menu suspenso de critérios para contains.
  4. Digite logged in na caixa de texto para filtrar pelos eventos de login.
  5. Clique no botão Filter.

 

 

Eventos do host filtrados

  1. Agora podemos ver os eventos do host filtrados relacionados aos eventos de login. Podemos filtrar facilmente por diversos tipos de eventos usando a opção de filtro, como acabamos de fazer. Isso ajuda os administradores a localizar rapidamente eventos específicos.

OBSERVAÇÃO: no ambiente de laboratório, a lista de eventos poderá ou não ser diferente do que mostra a captura de tela.

 

 

Guia Hardware

 

  1. Clique na guia Hardware na parte superior do painel de conteúdo.
  2. Podemos ver um aviso que diz: "This system has no IPMI capabilities, you may need to install a driver to enable sensor data to be retrieved". Essa mensagem de hardware se deve à natureza do ambiente de laboratório, que tem hosts virtuais aninhados.

OBSERVAÇÃO: no ambiente de laboratório, a lista de mensagens de hardware poderá ou não ser diferente do que mostra a captura de tela.

 

 

Guia Tasks

  1. Clique na guia Tasks na parte superior do painel de conteúdo.
  2. Vemos que ela fornece uma lista de tarefas que foram executadas. Como este é um ambiente de laboratório de teste, há apenas uma tarefa relacionada à instalação inicial.

OBSERVAÇÃO: no ambiente de laboratório, a lista de tarefas poderá ou não ser diferente do que mostra a captura de tela.

 

 

Guia Notifications

 

  1. Clique na guia Notifications no painel de conteúdo.
  2. Podemos ver a lista de notificações, como "SSH is enabled on this host".

OBSERVAÇÃO: no ambiente de laboratório, a lista de notificações poderá ou não ser diferente do que mostra a captura de tela.

 

 

Como gerar o pacote de suporte do GSS

 

Frequentemente, o GSS (suporte técnico VMware) solicitará a geração de um pacote de suporte para ajudar a solucionar problemas de solicitações de serviço (SR, Service Request). O pacote de suporte inclui um snapshot do estado atual do host, parâmetros de configuração e logs relevantes.

Para criar um pacote de suporte para fornecer ao suporte técnico VMware:

  1. Selecione a guia Monitor no painel Navigator.
  2. Selecione a guia Logs no painel de conteúdo.
  3. Selecione o ícone Generate support bundle.

Observação: a geração de um grande pacote de arquivos de log pode demorar vários minutos, então é necessário ter paciência.

 

 

Maximizar o painel Recent Tasks

 

  1. Clique em qualquer lugar no painel Recent tasks minimizado para maximizá-lo novamente.

 

 

Processamento do pacote de suporte do GSS

 

  1. À medida que o pacote de suporte é criado, o andamento é exibido na tela Recent Tasks, na parte inferior da interface de usuário.

 

 

Confirmação do pacote de suporte

 

Quando o pacote de suporte estiver criado e concluído, você será solicitado a fazer download dele agora (Download) ou ignorar a solicitação e fazer o download posteriormente (Dismiss). Para a finalidade deste laboratório, NÃO faremos download do pacote de suporte.

  1. Clique no botão Dismiss.

 

 

Virtual Machines

 

  1. Clique em Virtual Machines no painel Navigator.
  2. Vemos uma lista de todas as máquinas virtuais do host ao qual estamos conectados. Aqui podem ser executadas algumas funções básicas, como::
    • Criar/registrar máquinas virtuais
    • Ligar/desligar máquinas virtuais
    • Abrir um console
    • Editar uma máquina virtual
    • Diversas outras tarefas administrativas

OBSERVAÇÃO: no ambiente de laboratório, a lista de máquinas virtuais poderá ou não ser diferente do que mostra a captura de tela.

 

 

Storage

 

  1. Clique em Storage no painel Navigator.
  2. Vemos a lista de dispositivos de armazenamento atualmente conectados. Dentro da área de armazenamento, podemos executar as seguintes tarefas:
    • Criar um novo datastore
    • Navegar em datastores
    • Criar e modificar adaptadores de armazenamento
    • Ver informações detalhadas sobre dispositivos de armazenamento
    • Diversas outras tarefas relacionadas a armazenamento

 

 

Networking

  1. Clique em Networking no painel Navigator.
  2. Vemos que é possível gerenciar as seguintes tarefas de rede:
    • Port groups
    • Switches virtuais
    • NICs físicas
    • NICs VMkernel
    • Pilhas TCP/IP
    • Regras de firewall

 

 

HTML5 Host Client: conclusão

Nesta lição, abordaremos todas as principais áreas da nova interface de usuário do HTML5 Host Client. Vemos que os administradores têm a possibilidade de fazer a maioria das configurações e do monitoramento de um host quando o vCenter Server não está disponível.  A facilidade de uso e o desempenho dessa nova interface cliente se devem ao fato de que ela se baseia em HTML, em vez da programação de aplicativos mais antiga em Java ou C Sharp (C#). Esperamos incluir esses benefícios nos outros clientes atualizados à medida que fazemos a transição de todos eles para HTML5.

 

Aprimoramentos do vSphere Web Client


De uma perspectiva de interface de usuário, talvez a interface mais usada seja vSphere Web Client. Essa interface continua a ser baseada na plataforma Adobe Flex e requer o Adobe Flash para ser usada. Entretanto, a VMware continua a identificar áreas para aprimoramento que ajudarão a melhorar a experiência do usuário até ela ser completamente desativada. Por meio de vários esforços de comunicação no ano passado, identificamos algumas áreas importantes nas quais achamos que os clientes procuram mais melhorias. Esta pequena lista de melhorias de alto impacto ajudará na experiência geral do usuário com o vSphere Web Client enquanto o desenvolvimento continua com o vSphere Client baseado em HTML5:


 

Iniciar o Google Chrome

 

Se o Google Chrome ainda não estiver aberto, você poderá:

  1. Clicar duas vezes no ícone do Google Chrome no desktop do console principal.
  2. Ou clicar uma vez no ícone do Google Chrome na barra de Início Rápido.

OBSERVAÇÃO: se o Google Chrome já estiver aberto, continue na próxima etapa.

 

 

 

Um modo rápido de localizar os links para o vSphere Web Client (Flash) e o novo vSphere Client (HTML5) é abrir um navegador e digitar o endereço IP do nome de domínio completo (FQDN, Fully Qualified Domain Name) do vCenter Server. A página que você vê na captura de tela fornece os links para ambos, caso você não saiba ou não se lembre deles. Como sempre, essa página também fornece links para a documentação do vSphere, a possibilidade de navegação em datastores no inventário do vSphere e muito mais.

Para localizar os links para o vSphere Web Client (Flash) ou o novo vSphere Client (HTML5):

  1. Digite o endereço IP ou o FQDN do vCenter Server. Neste caso, digite https://vcsa-01a.corp.local no caminho do navegador.
  2. Em seguida, clique no link vSphere Web Client (Flash) para acessar a versão anterior baseada em Flash do vSphere Web Client.

 

 

Visão geral do vSphere Web Client (Flash)

 

Em primeiro lugar, analisaremos a versão anterior baseada em Flash do vSphere Web Client. Para fazer isso:

  1. Quando a página estiver totalmente carregada, digite administrator@vsphere.local na caixa de texto User name.
  2. Digite VMware1! na caixa de texto Password.
  3. Clique no botão Login.

 

 

Usar atalhos de teclado e visualizá-los no menu Home

 

Há atalhos de teclado no vSphere Web Client 5.5 e 6.0, mas eles não estavam visíveis. É possível ver esses objetos no ambiente do vSphere usando as combinações de teclas para navegar rapidamente entre Home, Hosts and Clusters, Storage, Networking e outros itens do menu.

Podemos ver esses atalhos passando o mouse sobre o menu Home.

  1. Passe o mouse sobre o ícone Home para abrir o menu suspenso de opções.
  2. Use algumas das combinações de teclas Ctrl+Alt+# para ver como as teclas de atalho funcionam:
    • Ctrl+Alt+1: tela inicial
    • Ctrl+Alt+2: vCenter Inventory Lists (navegador de objetos)
    • Ctrl+Alt+3: árvore Hosts and Clusters
    • Ctrl+Alt+4: árvore VMs and Templates
    • Ctrl+Alt+5: árvore Storage
    • Ctrl+Alt+6: árvore Networking

 Observação: use a combinação de teclas Ctrl+Command+Número se estiver usando Mac.

 

 

Fechar painéis (se necessário)

 

Se o vSphere Web Client tiver a visualização padrão com todos os quatro painéis maximizados, execute as etapas a seguir. Caso contrário, poderemos ignorar estas etapas:

  1. Clique no ícone de pino do painel Work In Progress.
  2. Clique no ícone de pino do painel Alarms.
  3. Clique no ícone de pino do painel Recent Tasks.
  4. Clique no ícone de pino do painel Recent Objects.

 

 

Guias de objetos

 

Nas versões anteriores, todos os objetos em um contêiner, ou relacionados a um objeto, apareciam na guia Related Objects. Essa guia foi substituída por guias de alto nível que categorizam os objetos relacionados, como: Hosts, VMs, Datastores e Networks. Essa mudança afeta todos os objetos do vSphere, e somente as categorias aplicáveis são mostradas para cada tipo de objeto (para uma VM, as guias são: Datastores e Networks).

  1. Este exemplo mostra que o objeto selecionado é "vcsa-01b.corp.local".
  2. Vemos aqui todas as novas guias do vSphere Web Client aprimorado.

 

 

Barra de título Object Details: ícones de ações

 

  1. Podemos ver que a barra de título Object Details exibe o ícone e o nome do objeto, ícones de ações e o menu Actions. Usando os ícones de ações, agora é possível executar ações comuns com um único clique.

OBSERVAÇÃO: este exemplo mostra que o objeto selecionado é "vcsa-01b.corp.local".

 

 

Home

 

  1. Clique no ícone Home e selecione Home no menu suspenso.
  2. Clique em Tags & Custom Attributes no painel de navegação à esquerda.

 

 

Criação de atributos personalizados usando a visualização global Custom Attributes

 

  1. Selecione a guia Custom Attributes.
  2. Para criar um novo atributo personalizado, clique no ícone Add para exibir a caixa de diálogo New Custom Attribute

 

 

Novo atributo personalizado

 

 

  1. Digite VM_Custom para o nome no campo Attribute:.
  2. Role até o final da lista e selecione Virtual Machine no menu suspenso Type:.
  3. Clique em OK para concluir a criação do novo atributo. O novo atributo agora aparece na lista.



OBSERVAÇÃO: a lista de atributos personalizados poderá ser diferente da que aparece na captura de tela.

 

 

Criação de atributos personalizados usando a visualização global Custom Attributes

 

  1. Para criar outro novo atributo personalizado, clique no ícone Add para exibir a caixa de diálogo New Custom Attribute

OBSERVAÇÃO: a lista de atributos personalizados poderá ser diferente da que aparece na captura de tela.

 

 

Novo atributo personalizado

 

 

  1. Digite vApp_Custom para o nome no campo Attribute:.
  2. Role até o final da lista e selecione Virtual App no menu suspenso Type:.
  3. Clique em OK para concluir a criação do novo atributo. O novo atributo agora aparece na lista.



 

 

Renomeação de atributos personalizados usando a visualização global Custom Attributes

 

  1. Selecione o atributo vApp_custom que criamos na lista.
  2. Clique no botão Edit. A caixa de diálogo Edit Custom Attribute é exibida.

 

 

Renomeação de atributos personalizados usando a visualização global Custom Attributes

  1. Renomeie o atributo para vApp_Custom_Upd.
  2. Clique no botão OK. Na lista, o nome do atributo selecionado agora reflete o nome alterado.

 

 

Exclusão de atributos personalizados usando a visualização global Custom Attributes

Como não usaremos esses atributos personalizados e o objetivo era apenas mostrar como criá-los, excluiremos ambos.

  1. Selecione os atributos vApp_Custom_Upd e VM_Custom mantendo pressionada a tecla CTRL (ou Command no Mac).
  2. Clique no botão Delete.
  3. Clique no botão Yes quando aparecer uma confirmação.

OBSERVAÇÃO: a lista de atributos personalizados poderá ser diferente da que aparece na captura de tela.

 

 

Confirmar a exclusão

 

  1. Clique no botão Yes para excluir os atributos personalizados.

 

 

Aprimoramentos do vSphere Web Client: conclusão

Isso conclui a visão geral dos aprimoramentos que fizemos no vSphere Web Client baseado em Adobe Flash. O Web Client tem um desempenho muito melhor do que em versões anteriores, e adicionamos a ele mais recursos que estavam disponíveis apenas no cliente C# antigo. Em parte, isso se deve à integração do vSphere Update Manager e de outros recursos ao novo vCenter Server Appliance. Também foi isso que nos permitiu desativar o cliente C# antigo.

 

O NOVO vSphere Client HTML5


É uma satisfação dizer que, com o vSphere 6.5, temos uma versão totalmente compatível do vSphere Client baseado em HTML5 que será executada junto com o vSphere Web Client. O vSphere Client é integrado diretamente ao vCenter Server 6.5 (no Windows e no Appliance) e está ativado por padrão. Embora o vSphere Client ainda não tenha uma total paridade de recursos, a equipe priorizou muitas das tarefas do dia a dia dos administradores e continua a solicitar comentários sobre o que está faltando para permitir que os clientes o utilizem em tempo integral. O vSphere Web Client continuará acessível via “http://<fqdn_do_vcenter>/vsphere-client”, enquanto o vSphere Client estará acessível via “http://<fqdn_do_vcenter>/ui”. A VMware também atualizará periodicamente o vSphere Client fora do ciclo de lançamento normal do vCenter Server. Para garantir os clientes se mantenham atualizados com facilidade, o vSphere Client poderá ser atualizado sem afetar o restante do vCenter Server.

Agora vamos examinar alguns dos benefícios do novo vSphere Client:

Lembre-se de que o "tipo" de objeto em que você clicar no painel de navegação à esquerda determinará o tipo de informações apresentadas no painel de conteúdo no lado direito da interface de usuário.

ATUALIZAÇÃO: em 27 de julho de 2017, a VMware lançou uma versão atualizada do vSphere 6.5 Update 1. Com essa atualização, a interface Web HTML5 do vCenter Server foi atualizada. A atualização melhorou muito a nova interface HTML5, tornando a paridade de recursos com o vSphere Web Client próxima a 90%. Quando os clientes atualizam para o vSphere 6.5 Update 1, eles geralmente podem usar a nova interface HTML5 para a maioria de suas tarefas administrativas.


 

Iniciar o Google Chrome

 

Se o Google Chrome ainda não estiver aberto, você poderá:

  1. Clicar duas vezes no ícone do Google Chrome no desktop do console principal.
  2. Ou clicar uma vez no ícone do Google Chrome na barra de Início Rápido.

OBSERVAÇÃO: se o Google Chrome já estiver aberto, continue na próxima etapa.

 

 

 

Um modo rápido de localizar o novo vSphere Client HTML5 é abrir um navegador e digitar o endereço IP do nome de domínio completo (FQDN, Fully Qualified Domain Name) do vCenter Server. A página que você vê na captura de tela fornece os links para ambos, caso você não saiba ou não se lembre deles. Como sempre, essa página também fornece links para a documentação do vSphere, a possibilidade de navegação em datastores no inventário do vSphere e muito mais.

Para usar o novo vSphere Client baseado em HTML5:

  1. Digite https://vcsa-01a.corp.local na barra de endereço.
  2. Clique no link vSphere Client (HTML5) - partially functionality.

 

 

Fazer login no vSphere Client HTML5

 

Se você não for conectado automaticamente ao novo cliente HTML5, faça login com as informações abaixo:

  1. Digite administrator@corp.local no campo User name.
  2. Digite VMware1! no campo Password.
  3. Clique no botão Login.

 

 

Recent Tasks e Alarms

 

  1. Os painéis Recent Tasks e Alarms foram movidos para a parte inferior da interface para oferecer mais espaço físico aos usuários. Como em versões anteriores, você também pode minimizá-los para ganhar ainda mais espaço ao trabalhar na interface.
  2. Também temos um link More Tasks no canto inferior direito que podemos selecionar para ver uma lista completa de tarefas e alarmes.

 

 

Minimizar Recent Tasks and Alarms

 

  1. Clique no ícone de duas setas para baixo para minimizar o widget Recent Tasks and Alarms no canto inferior direito da interface.

OBSERVAÇÃO: uma vez minimizado, você poderá maximizá-lo novamente clicando no ícone de duas setas para cima que estará na extremidade inferior direita da interface de usuário.

 

 

Visão geral do vSphere Client HTML5

 

Vamos conferir a nova interface HTML5 e onde encontrar alguns dos itens que você talvez tenha usado no passado:

  1. Clique no ícone VM no canto superior esquerdo da interface.

 

 

Atalhos: Inventories e Monitoring

 

O que vemos aqui parece familiar e tem os atalhos para os itens Inventories e Monitoring. Como mencionado anteriormente, o novo vSphere Client HTML5 não tem total paridade de recursos com o vSphere Web Client mais antigo baseado em Flash. É por isso que você não vê o número de itens que veria no vSphere Web Client.

OBSERVAÇÃO: em 27 de julho de 2017, a VMware lançou uma versão atualizada do vSphere 6.5 Update 1. Com essa atualização, a interface Web HTML5 do vCenter Server foi atualizada. A atualização melhorou muito a nova interface HTML5, tornando a paridade de recursos com o vSphere Web Client próxima a 90%. Quando os clientes atualizam para o vSphere 6.5 Update 1, eles geralmente podem usar a nova interface HTML5 para a maioria de suas tarefas administrativas.

 

 

Menu

 

Em vez do antigo ícone Home do vSphere Web Client, ele agora se chama Menu, mas ainda tem a mesma lista de opções.

  1. Ao clicar no menu suspenso Menu, você vê que a lista é muito semelhante à da interface baseada em Flash.

 

 

 

Ao lado do menu, temos a nova Global Search, que permite pesquisar qualquer tipo de objeto no ambiente do vSphere.

  1. Clique dentro do campo Global Search e digite linux para pesquisar tudo o que incluir linux no nome.
  2. Vemos que são retornados resultados com um template de VM chamado linux-micro-01-template e uma máquina virtual chamada linux-micro-01a.

Seja qual for o tipo de objeto que você estiver procurando, ele poderá ser localizado rapidamente com o recurso Global Search.

 

 

Menu de usuário

 

Houve algumas pequenas alterações no menu suspenso do nome de usuário. Agora existe a configuração Change Time Format..., mas não existem mais as seleções Remove Stored Data, Reset To Factory Defaults ou Change Password.

  1. Clique no menu suspenso Administrator@CORP.LOCAL.

 

 

Menu Help

 

  1. Clique na seta do menu suspenso Help para ver os itens do menu Help.

 

 

Ícone de comentários

 

Um novo item adicionado à interface é o smiley no canto superior direito. Como você vê na captura de tela, ele oferece um meio de enviar comentários à VMware diretamente da interface.

  1. Clique no ícone de Smiley para abrir um pop-up.

 

 

Fornecer comentários

 

  1. Primeiro selecione o ícone de smiley que representa sua situação/atitude atual quanto às informações que está enviando no comentário.
  2. Digite o comentário que deseja enviar à VMware na caixa de texto Tell us more.
  3. Você tem a opção de digitar seu endereço de email, se desejar, ou permanecer anônimo ao não preencher a caixa de texto.
  4. Clique no botão Take Screenshot para incluir uma captura de tela, se desejar mostrar à VMware a que você está se referindo.
  5. Clique no botão CANCEL para não enviar informações à VMware neste momento de um ambiente de laboratório.

 

 

Home

 

Vemos que a página Home nos fornece uma ótima visão geral do status atual do ambiente do vCenter.

  1. Clique no ícone Home no painel de navegação à esquerda.
  2. Ele nos fornece a quantidade total de recursos, como CPU, Memory e Storage, do vCenter Server associado que selecionamos.
  3. Em seguida, quantas máquinas virtuais (VMs, virtual machines) estão no estado Powered On, Powered Off e Suspended, e quantos hosts estão no modo Disconnected, Connected ou Maintenance.
  4. Vemos também uma lista dos objetos com o maior número de alertas para agilizar e facilitar a solução de problemas.
  5. Por fim, é mostrada uma lista dos plug-ins instalados.

 

 

Host and Clusters

  1. Clique em Menu.
  2. Em seguida, clique em Hosts and Clusters.

 

 

Host and Clusters, VMs and Templates, Storage e Networking

 

Com a seleção anterior de Hosts and Clusters no menu suspenso Menu, essa visualização é automaticamente selecionada. Podemos ver que a aparência e o conteúdo não mudaram em relação às versões anteriores do vSphere Web Client. A maior parte da interface ainda tem itens no mesmo lugar que antes, tornando extremamente fácil o aprendizado da nova interface de usuário.

  1. Expanda todas as áreas clicando nas setas ao lado dos objetos.

 

 

VMs and Templates

 

  1. Clique no ícone VMs and Templates e expanda todas as áreas clicando nas setas ao lado dos objetos.

 

 

Storage

 

  1. Clique no ícone Storage e expanda todas as áreas clicando nas setas ao lado dos objetos.

 

 

Networking

 

Como vimos nas últimas etapas, a única coisa que realmente mudou é a aparência dos ícones, pois agora eles se baseiam em HTML.

  1. Clique no ícone Networking e expanda todas as áreas clicando nas setas ao lado dos objetos.

 

 

As novas guias

  1. As guias são muito semelhantes à nova versão do vSphere Web Client. Entretanto, vemos diferenças em relação às versões mais antigas do vSphere Web Client. Pelos seus nomes, porém, é fácil entendê-las e saber as informações que contêm. Portanto, a curva de aprendizado será muito pequena para os administradores acostumados a usar o vSphere Web Client mais antigo.

 

 

A guia Summary

 

  1. Vemos que a guia Summary nos fornece a quantidade total de recursos de CPU, memória e armazenamento em uso no vCenter Server vcsa-01a.corp.local.
  2. Ela também nos mostra, em Custom Attributes, os atributos personalizados que podemos ter.
  3. Além das Tags que estamos usando.

 

 

Guia Monitor

 

  1. Clique na guia Monitor.
  2. Na guia Monitor, temos várias seleções para All Issues, Triggered Alarms, Alarm Definitions, Tasks e Events.

 

 

Guia Configure

 

Devido às novas guias, como Permissions, Datacenters, Datastores, Networks etc., você verá que agora há itens de configuração limitados localizados na guia Configure.

Para ver o que é listado na guia Configure:

  1. Clique na guia Configure.
  2. Em seguida, clique em Advanced Settings.
  3. Talvez seja necessário usar a barra de rolagem para ver as várias configurações avançadas.

Podemos ver que agora podemos configurar apenas as subseções Advanced Settings e Storage Providers. A maioria das configurações estava localizada aqui em versões anteriores do vSphere Web Client.

 

 

Guia Permissions

 

A guia Permissions lista todos os usuários e grupos, que funções têm as suas contas e se a permissão é global ou não.

  1. Clique na guia Permissions.

 

 

Guia Datacenters

 

  1. Clique na guia Datacenters.
  2. Clique com o botão direito do mouse no data center RegionA01 para ver as possíveis ações que você pode executar nele.

 

 

Guia Hosts and Clusters

 

  1. Clique na guia Hosts & Clusters.
  2. Clique com o botão direito do mouse na máquina virtual esx-01a.corp.local para ver a lista de possíveis tarefas a serem executadas no menu suspenso.

 

 

Guia VMs

 

  1. Clique na guia VMs.
  2. Clique com o botão direito do mouse em uma máquina virtual para ver a lista de possíveis tarefas a serem executadas no menu suspenso.

 

 

Guia Datastores

 

  1. Clique na guia Datastores.
  2. Clique com o botão direito do mouse no datastore para ver a lista de possíveis tarefas a serem executadas no menu suspenso.

 

 

Guia Networks

 

Agora vamos analisar a guia Networks e ver como as informações de rede são apresentadas na nova interface.

Para analisar as configurações de redes, como switches distribuídos:

  1. Clique na guia Networks.
  2. Clique na guia Distributed Switches.
  3. Clique com o botão direito do mouse no switch distribuído RegionA01-vDS-COMP.

Vemos aqui o submenu em que podemos alterar configurações desse switch distribuído. Um ótimo acréscimo que vemos no menu é a possibilidade de adicionar notas, o que pode ser extremamente útil para os administradores fazerem anotações sobre a finalidade do switch distribuído, configurações etc. Isso permite que outros leiam e entendam por que as configurações foram feitas por outra pessoa, principalmente quando essa pessoa não trabalha mais na empresa.

 

 

Painel de navegação

 

Vemos no painel de navegação à esquerda que suas opções são muito semelhantes ao menu Home. Todos os itens do painel de navegação também são listados em uma das guias na parte superior da interface quando clicamos no vCenter Server. Portanto, há mais de uma maneira de acessar esses itens dentro da interface.

  1. Clique em Global Inventory Lists no painel de navegação.

 

 

Global Inventory Lists

 

A lista de itens da opção Global Inventory List tem a mesma aparência que a lista normal do vSphere Web Client, apenas os ícones parecem diferentes por se basearem em HTML.

 

 

Menu

  1. Clique no Menu.
  2. Em seguida, clique em Administration.

 

 

Administration

 

  1. Em Administration, temos os itens de Access Control, como Roles e Global Permissions, além de Solutions, que contém Client Plug Ins.
  2. Em seguida, selecionamos entre Description, Usage e Privileges.

 

 

Painel de navegação

 

  1. As seleções Tasks, Events e Tags & Custom Attributes nós já vimos nas outras guias principais na parte superior da interface de usuário. Portanto, não precisamos analisá-las novamente no painel de navegação.

 

 

Painel de navegação

 

  1. Clique em New Search no painel de navegação.

 

 

 

  1. Digite kms no campo de texto de pesquisa.

Vamos que ela lista os dois servidores KMS HyTrust e as informações associadas que temos neste vCenter Server. Observe que os nomes de máquina virtual são links nos quais podemos clicar e acessar a máquina virtual específica.

  1. Clique no link da máquina virtual kms-01a.corp.local.

 

 

kms-01a.corp.local

  1. Observe que, após o clique no link da máquina virtual, acessamos a guia VMs and Templates e vemos todas as informações relevantes sobre a máquina virtual no painel de conteúdo.

 

 

Visão geral do vSphere Client HTML5: conclusão

Isso conclui nossa visão geral do novo vSphere Client HTML5.

Esperamos que essa visão geral do novo cliente tenha sido valiosa ao mostrar onde podemos começar a usar essa interface eficiente e simples para as tarefas do dia a dia de administradores virtuais.

OBSERVAÇÃO: novamente, lembre-se de que o novo vSphere Client HTML5 NÃO tem paridade de recursos com o vSphere Web Client, que ainda se baseia em Adobe Flex/Flash. Portanto, você ainda precisará usar o vSphere Web Client baseado em Flash para realizar algumas tarefas administrativas. Em uma versão futura, o novo cliente HTML5 terá 100% de paridade de recursos, e desativaremos o antigo vSphere Web Client baseado em Flash.

 

Segurança do vSphere: VMs e vMotion criptografados


O vSphere 6.5 é um ponto decisivo em termos de segurança da infraestrutura VMware. O que era predominantemente considerado algo secundário por muitos profissionais de TI apenas alguns anos atrás agora é um dos principais geradores de inovação do vSphere. A segurança se tornou o foco central desta versão, e achamos que você vai gostar do resultado do nosso trabalho.

Nosso foco na segurança é a capacidade de gerenciamento. Se a segurança não for fácil de implementar e gerenciar, o benefício que ela poderá trazer será anulado. A segurança em uma infraestrutura virtual deve poder ser aplicada “em grande escala”. Gerenciar centenas ou milhares de “fragmentos” de segurança é algo que nenhum gerente de TI deseja fazer. Não há recursos para isso. A chave para a segurança em grande escala é a automação, que está muito presente nestes novos recursos.

Nesta seção, apresentaremos uma breve visão geral dos novos recursos de segurança do vSphere 6.5, como:

Como este é um laboratório de introdução, não passaremos por todas as etapas de configuração para máquinas virtuais criptografadas, as políticas associadas e a tarefa de realmente executar um vMotion de uma máquina virtual. O objetivo desta seção é fornecer informações básicas sobre esses tópicos. Para obter informações mais detalhadas e a capacidade de executar as etapas reais de configuração, faça o laboratório "HOL-1811-04-SDC - vSphere 6.5 Security Concepts and Implementation", especificamente os módulos 4, 5 e 8.


 

Iniciar o navegador Chrome

 

Se o Google Chrome ainda não estiver aberto, você poderá:

  1. Clicar duas vezes no ícone do Google Chrome no desktop do console principal.
  2. Ou clicar uma vez no ícone do Google Chrome na barra de Início Rápido.

OBSERVAÇÃO: se o Google Chrome já estiver aberto, continue na próxima etapa.

 

 

Conectar-se ao RegionB vCenter

  1. Clique em RegionB vCenter na barra de favoritos.

 

 

Fazer login no RegionB vCenter

 

Se o servidor RegionB vCenter já estiver aberto na guia do Google Chrome, você poderá pular as etapas de 1 a 3. Caso contrário, conclua as etapas a seguir:

  1. Digite administrator@vsphere.local no campo de texto User name.
  2. Digite VMware1! na caixa de texto Password.
  3. Clique no botão Login.

 

 

Global Inventory Lists

 

  1. Clique no ícone Home.
  2. Clique em Global Inventory Lists.

 

 

Navegar até a lista de vCenter Servers

 

  1. Em Resources, clique em vCenter Servers no painel de navegação.

 

 

Selecionar vcsa-01a.corp.local

 

  1. Selecione o vCenter Server vcsa-01b.corp.local no painel de navegação à esquerda.
  2. Clique na guia Configure.
  3. Clique na seção Key Management Servers.
  4. Clique no ícone Add Server (com um sinal de adição verde).

 

 

Adicionar um servidor KMS

 

Exemplos de entrada de informações associadas a um servidor KMS seriam os seguintes:

  1. Mantenha a seleção de cluster KMS <Create new cluster>.
  2. Digite KMS Cluster 1 no campo de texto Cluster name.
  3. Digite KMS Server 1 no campo de texto Server alias.

 

 

Adicionar um servidor KMS (continuação)

 

  1. Digite kms-01b.corp.local no campo de texto Server address.
  2. Digite 5696 no campo de texto Server port.
  3. Clique no botão OK.

 

 

Definir o cluster KMS padrão

 

Seria exibida uma janela pop-up perguntando se desejamos selecionar o servidor KMS recém-adicionado como o servidor KMS padrão.

  1. Clique no botão Yes para tornar esse o seu servidor KMS padrão.

 

 

Confiar no certificado

 

É necessário declarar a confiança no certificado apresentado pelo servidor KMS recém-adicionado.

  1. Clique no botão Trust.

 

 

Configurar a relação de confiança do vCenter

 

  1. Clique em KMS Server 1, que é listado em KMS Cluster 1.
  2. Clique no ícone Establish trust with KMS.

 

 

Fazer upload do certificado e da chave privada

 

  1. Clique no botão de opção Upload certificate and private key.
  2. Clique no botão OK.

 

 

Fazer upload do arquivo

 

  1. Clique no botão Upload file... na parte superior da janela pop-up.

 

 

Caminho

  1. Navegue até "C:\LabFiles\HOL-1811\vcsa01b\".
  2. Clique no arquivo vcsa01b.pem.
  3. Clique no botão Open.

 

 

Fazer upload do arquivo

 

  1. Clique no botão Upload file... na parte inferior da janela pop-up.

 

 

vcsa01b.pem

  1. Navegue até "C:\LabFiles\HOL-1811\vcsa01b\".
  2. Clique no arquivo vcsa01b.pem.
  3. Clique no botão Open.

 

 

Concluir a confiança

  1. Clique no botão OK.

 

 

Servidor KMS configurado

 

Neste ponto, concluímos a configuração dos novos servidores KMS.

  1. Podemos ver que o servidor KMS recém-adicionado tem o status Normal e o status do certificado é válido.

 

 

 

Criar uma política de criptografia

O próximo processo de configuração da criptografia será criar e configurar uma nova política de armazenamento de criptografia. A nova política de criptografia é configurada como qualquer outra política de armazenamento, com a exceção de que selecionamos a criptografia nos conjuntos de regras.

Para criar uma nova política de armazenamento, clicamos em Policies and Profiles no menu suspenso Home. Entretanto, neste laboratório, não executaremos as etapas reais de criação de uma nova política de armazenamento de criptografia porque já foi criada uma (VM Encryption Policy) para economizar tempo.  

OBSERVAÇÃO: para executar as etapas reais de configuração de uma nova política de armazenamento de criptografia, faça o módulo 4 do laboratório HOL-1811-04-SDC - vSphere 6.5 Security Concepts and Implementation.

 

 

Criptografia de máquinas virtuais

A criptografia de máquinas virtuais é algo que está em curso há anos. Porém, caso você não tenha percebido, ela não “decolou” porque cada solução tem um impacto operacional negativo. Com o vSphere 6.5, nós lidamos diretamente com esse problema.

A criptografia será realizada no hypervisor, “abaixo” da máquina virtual. À medida que a E/S sai do controlador de disco virtual na máquina virtual, ela é imediatamente criptografada por um módulo no kernel antes de se enviada à camada de armazenamento do kernel. Tanto os arquivos de início da máquina virtual (VMX, snapshot etc.) como os arquivos VMDK são criptografados.

As vantagens são numerosas.

  1. Como a criptografia ocorre no nível do hypervisor e não na máquina virtual, o tipo de sistema operacional guest e datastore não é relevante.  A criptografia da VM é independente. 
  2. A criptografia é gerenciada por política. A aplicação da política pode ser feita em muitas máquinas virtuais, independentemente do sistema operacional guest que elas tenham.
  3. A criptografia não é gerenciada “dentro” da máquina virtual. Essa é a principal diferença de todas as outras soluções disponíveis no mercado! Não há “fragmentos” de criptografia. Você não precisa monitorar se a criptografia está sendo executada na máquina virtual e as chaves não estão contidas na memória das máquinas virtuais.
  4. O gerenciamento de chaves se baseia no padrão da indústria, o KMIP 1.1. No vSphere vCenter, é um cliente KMIP que trabalha com um grande número de gerenciadores de chave KMIP 1.1. Isso proporciona opção e flexibilidade aos clientes. As chaves de máquina virtual não são persistentes no vCenter.
  5. A criptografia de máquina virtual utiliza os últimos avanços de hardware que são inerentes às CPUs de hoje em dia. Ela aproveita o AES-NI para a criptografia.

 

Neste momento, poderíamos testar uma política de criptografia recém-criada para ativar a criptografia de uma nova máquina virtual. Portanto, vamos seguir as etapas de criação de uma nova máquina virtual e, em seguida, atribuir a política de criptografia a ela.

  1. Clique no botão Home.
  2. Clique em VMs and Templates.

 

 

Opção New VM from This Template

 

  1. Clique com o botão direito do mouse no template Tiny-VM.
  2. Clique em New VM from This Template no menu suspenso.

 

 

Selecionar um nome e uma pasta

 

  1. Digite My Encrypted VM1 no campo de texto Enter a name for the virtual machine.
  2. No vCenter Server vcsa-01b.corp.local, clique no local RegionB01.
  3. Clique no botão Next.

 

 

Selecionar um recurso de processamento

 

  1. Selecione RegionA01-COMP01 como seu recurso de processamento (é a única opção).
  2. Verifique que temos a marca de verificação verde em Compatibility.
  3. Clique no botão Next.

 

 

Selecionar o armazenamento

 

  1. No menu suspenso Select virtual disk format, selecione Thin Provisioning.
  2. Clique no botão Next.

 

 

Selecionar opções de clonagem

 

  1. Mantenha os padrões e clique no botão Next.

 

 

Pronto para concluir

 

  1. Clique no botão Finish.

 

 

Editar políticas de VM

 

  1. Clique com o botão direito do mouse na máquina virtual My Encrypted VM1.
  2. Clique em VM Policies no menu suspenso.
  3. Clique em Edit VM Storage Policies... no menu suspenso VM Policies.

 

 

Editar políticas de armazenamento de VM

 

  1. No menu suspenso VM storage policy, selecione VM Encryption Policy.
  2. Clique no botão Apply to all para aplicar a política à pasta VM home e ao Hard disk 1 da máquina virtual.
  3. Clique no botão OK.

 

 

Verificar Edit Settings

 

  1. Clique com o botão direito do mouse na máquina virtual My Encrypted VM1.
  2. Clique em Edit Settings nas configurações do menu suspenso.

 

 

Verificar Virtual Hardware

 

  1. Quando o menu pop-up Edit Settings for aberto, clique na seta ao lado de Hard disk 1 para expandi-lo.
  2. Verifique se a opção VM Encryption Policy está selecionada para a configuração VM storage policy.

 

 

Verificar VM Options

 

  1. Clique na guia VM Options.
  2. Clique na seta ao lado de Encryption para expandi-la.
  3. Verifique se a opção Required está selecionada para a configuração Encrypted vMotion.
  4. Clique no botão Cancel.

OBSERVAÇÃO: podemos ver que, se a máquina virtual estiver criptografada, o vMotion criptografado será obrigatório por padrão e não poderá ser alterado manualmente enquanto a máquina virtual estiver criptografada.

 

 

Visão geral do vMotion criptografado

O vMotion criptografado era um antigo pedido que estamos atendendo com o vSphere 6.5. O que é único na criptografia do vMotion é que não estamos criptografando a rede. Não há certificados para gerenciar ou configurações de rede para fazer. A criptografia ocorre no nível de cada VM individualmente, permitindo que a criptografia do vMotion em uma VM faça definições dinamicamente. Quando a VM é migrada, uma chave aleatória de 256 bits de uso único é gerada pelo vCenter (ele não usa o gerenciador de chaves para essa chave).

Além disso, também é gerado um “Nonce” (número arbitrário usado uma única vez em uma operação de criptografia) de 64 bits. A chave de criptografia e o Nonce são empacotados na especificação de migração enviada a ambos os hosts. Nesse ponto, todos os dados do vMotion da VM são criptografados com a chave e o Nonce, garantindo que essas comunicações não possam ser usadas para reproduzir os dados.

A criptografia do vMotion pode ser definida em VMs não criptografadas, e é sempre aplicada em VMs criptografadas. A seguir, veremos as etapas para executar o vMotion criptografado de uma máquina virtual não criptografada.

 

 

Migrar uma máquina virtual

 

Executar o vMotion criptografado não é diferente de fazer o vMotion com uma máquina virtual não criptografada. Nós vamos executar as etapas para o vMotion criptografado de uma máquina virtual; entretanto, para limitar a utilização de recursos no ambiente de Hands-on Lab, não iniciaremos o vMotion.

  1. Clique com o botão direito do mouse na máquina virtual w10-base-01b.corp.local.
  2. Selecione Migrate no menu suspenso.

OBSERVAÇÃO: foi necessário configurar o servidor KMS no vCenter Server vcsa-01b.corp.local, que é onde residem os dois servidores KMS. Porém, temos apenas um host ESXi nesse vCenter Server. Isso significa que não poderíamos executar o vMotion da máquina virtual pelo fato de haver apenas um host ESXi. Portanto, vamos percorrer as movimentações como se estivéssemos executando um vMotion criptografado com uma máquina virtual localizada no vCenter Server vcsa-01b.corp.local.

 

 

Selecionar o tipo de migração

 

Agora selecionamos se queremos mover a máquina virtual para outro recurso de processamento (Host), outro local de armazenamento ou ambos.

  1. Mantenha o valor padrão de Change compute resource only.
  2. Clique no botão Next.

 

 

Selecionar um recurso de processamento

 

Agora selecionamos o recurso de processamento para o qual queremos mover a máquina virtual. No momento, temos apenas um host ESXi no cluster, então precisamos selecionar o único host. Se houvesse mais de um host ESXi, selecionaríamos um host no qual a máquina virtual já não estivesse residindo. Mais uma vez, estamos fazendo esta simulação para a finalidade do laboratório e para mostrar o processo de execução do vMotion.

  1. Selecione o botão de opção ao lado de esx-01b.corp.local.
  2. Clique no botão Next.

OBSERVAÇÃO: temos a marca de verificação verde no campo Compatibility mostrando que podemos mover a máquina virtual para esse host sem nenhum problema de compatibilidade.

 

 

Selecionar redes

 

Vamos selecionar a rede apropriada à qual queremos que a máquina virtual se conecte. Neste caso, selecionaremos a rede padrão.

  1. Mantenha a rede designada por padrão e clique no botão Next.  

OBSERVAÇÃO: temos a marca de verificação verde no campo Compatibility mostrando que podemos atribuir a rede padrão à máquina virtual sem nenhum problema de compatibilidade.

 

 

Pronto para concluir

 

Agora estamos prontos para iniciar o processo de vMotion. Mas antes é sempre bom examinar atentamente o resumo das configurações selecionadas, para ter certeza de que elas estão corretas antes de iniciar o processo de vMotion. NÃO faremos realmente o vMotion da máquina virtual para não sobrecarregar o ambiente de Hands-on Labs.

  1. Clique no botão Cancel para que o processo de vMotion não seja iniciado.

 

 

Segurança do vSphere: VMs e vMotion criptografados: conclusão

Parabéns por concluir a visão geral de criptografia de VM e vMotion criptografado.

Esperamos ter oferecido uma boa visão geral dos recursos de segurança do vSphere 6.5 relacionados a criptografia. Se estiver procurando informações mais detalhadas sobre os novos recursos de segurança que acabamos de abordar, recomendamos que você faça o laboratório HOL-1811-04-SDC - vSphere 6.5 Security Concepts and Implementation. Esse laboratório fornece mais detalhes sobre todos os aprimoramentos de segurança do vSphere 6.5.

 

Conclusão


Parabéns por concluir o laboratório HOL-1811-01-SDC "O que há de novo no vSphere 6.5".

Neste laboratório, mostramos muitos dos novos aprimoramentos no vSphere 6.5. Conhecemos as melhorias no gerenciamento do vCenter Server Appliance, bem como os recursos nativos tão aguardados de alta disponibilidade, backup/restauração e o vSphere Update Manager embarcado no vCenter Server Appliance. Em seguida, analisamos a nova ferramenta de migração que realiza a migração de versões anteriores (5.5.x ou 6.0.x) do vSphere para o vSphere 6.5, não importa se a migração originar de uma versão do vCenter Server Appliance baseada no Windows. Examinamos as novas versões em HTML5 do Host Client e do vSphere Web Client, que mostraram o excelente desempenho da interface de usuário. Por fim, discutimos os novos recursos de segurança que oferecem a possibilidade de ter máquinas virtuais criptografadas, além de vMotion criptografado.

Esperamos sinceramente que este laboratório tenha proporcionado uma visão geral proveitosa dos principais aprimoramentos da versão vSphere 6.5. Embora não tenhamos abordado a vasta quantidade de aprimoramentos, mostramos aqui alguns dos principais destaques para o início do aprendizado do vSphere 6.5. Se tiver interesse em se aprofundar nos aprimoramentos de segurança do vSphere 6.5, faça o laboratório HOL-1811-04-SDC vSphere 6.5: Security Concepts and Implementation.  Temos também o laboratório HOL-1811-02-SDC Começar a usar o vSphere with Operations Management, que aborda vários tópicos do vSphere 6.5.

Apresentamos ainda alguns recursos do vSphere 6.5 na seção Recursos adicionais para ajudar na busca de mais detalhes sobre os novos aprimoramentos do vSphere 6.5.


 

Recursos adicionais

Se você estiver procurando por informações adicionais sobre O que há de novo no vSphere 6.5, consulte os links abaixo:

 

 

OPCIONAL: como encerrar o laboratório

 

OBSERVAÇÃO: entenda que, ao clicar no botão END no laboratório, ele fechará o laboratório e excluirá as máquinas virtuais associadas. Isso significa que, quando o laboratório for reiniciado, ele criará uma nova instância do laboratório com novas máquinas virtuais, não aquelas usadas anteriormente. Todas e quaisquer configurações anteriores serão perdidas, e elas serão redefinidas para as configurações padrão de quando o laboratório foi implantado pela primeira vez.

Se você entende totalmente a nota de advertência acima e quer encerrar o laboratório:

  1. Para encerrar o laboratório, clique no botão END.

 

Conclusion

Thank you for participating in the VMware Hands-on Labs. Be sure to visit http://hol.vmware.com/ to continue your lab experience online.

Lab SKU: ManualExport-HOL-1811-01-SDC-LT.zip

Version: 20171018-132955